Sexta-feira amanheceu gelada para os gaúchos e catarinenses

Agronegócio

Sexta-feira amanheceu gelada para os gaúchos e catarinenses

Dia seco e frio no Sul. Previsão de chuva só para o norte do Paraná. Chove em São Paulo, no sul do Rio de Janeiro e de Minas e no triângulo mineiro
Por:
376 acessos

Na quinta-feira voltou a chover forte em boa parte do Nordeste. Os maiores volumes foram registrados no ceará. Em Guarapiranga, o índice chegou aos 57 milímetros. Em Barbalha foram 52. Choveu forte também em alguns pontos da região norte e na faixa que vai de Santa Catarina ao sul de Mato Grosso. No Rio Grande do Sul, a entrada de uma massa de ar polar derrubou a temperatura. Em Santana do Livramento, durante a madrugada, os termômetros marcaram dois graus negativos.

A sexta-feira amanheceu gelada para os gaúchos e catarinenses. Vários municípios devem enfrentar geada. Há chance de nevar nas áreas mais altas. A frente fria que chegou ao Sudeste e ao Centro-Oeste avança até a região Norte e pode provocar muita chuva. Dia seco e frio no Sul. Previsão de chuva só para o norte do Paraná. Chove em São Paulo, no sul do Rio de Janeiro e de Minas e no triângulo mineiro. Tempo seco no centro-norte dos Estados de Minas e do Espírito Santo. Dia chuvoso no Centro-Oeste. Pode gear no sul de Mato Grosso do Sul. O sol predomina no leste de Mato Grosso e no norte de Goiás. No Nordeste, dia ensolarado na Bahia, no oeste de Sergipe e no sul do Piauí e do Maranhão. Mais um dia de chuva de Alagoas ao Ceará. Dia chuvoso no Norte. Faz sol em parte do Tocantins, do Amapá e de Roraima.

Nos próximos dias, a frente fria que levou a friagem até o norte perde força. Mas os ventos úmidos vindos do mar e uma área de baixa pressão atmosférica próxima ao litoral paulista vão manter o tempo chuvoso no Sudeste. Essa chuva também atinge parte do Sul e do Centro-Oeste.

Até quarta-feira o volume de chuva deve passar dos 110 milímetros no sul de Minas Gerais. São esperados 90 milímetros no centro-sul de São Paulo. O índice deve chegar aos 70 milímetros no norte do Paraná. A mesma quantidade deve ser registrada no Amazonas e no Maranhão.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink