Show Rural mostra avanço da pesquisa


Agronegócio

Show Rural mostra avanço da pesquisa

Por:
2 acessos

O Show Rural Coopavel já se tornou ''sinônimo de lançamento de novas tecnologias para o campo''. Durante o evento desse ano, as centenas de empresas participantes apresentaram cerca de 4.650 experimentos que vão desde a avicultura, suinocultura até pecuária leiteira e produção de grãos.

Um dos produtos mais concorridos foi a soja. Este ano, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Fundação Meridional lançaram cinco cultivares de soja para a próxima safra. As cultivares BRS 212, BRS 214 e BRS 215 têm como ponto forte a resistência às principais doenças da soja e a alta produtividade. ''Seu rendimento foi 5% superior às cultivares com que foram comparadas nos testes'', explica o pesquisador Luiz Carlos Miranda.

Ainda na pesquisa oficial, o Iapar apresentou resultados nas áreas de engenharia agrícola (avaliação de desempenho de máquinas plantadeiras); adubação verde para recuperação de solos, planas medicinais e aromáticas e tecnologias direcionadas para a região e pequenos produtores.

Soja na alimentação

Outras novidades para plantio na próxima safra foram as cultivares especiais para a alimentação humana. A BRS 213 possui ausência de lipoxigenase, enzima responsável pelo gosto de soja verde, e poderá atender o mercado de produção de soja orgânica. Além disso, foi demonstrada a BRS 216, que é especial para produção de natô, produto fermentado da culinária oriental. ''Essas cultivares, que atendem nichos de mercado, apresentam valor agregado, podendo, desta forma, ampliar o valor pago ao produtor'', afirma Miranda.

Na Vitrine de Tecnologias da Embrapa, foram apresentados outros quatro pré-lançamentos, das cultivares BRS 230, BRS 231, BRS 232 e BRS 233, com características de resistência aos nematóides de galha e cisto, problema sério à sojicultura. ''O objetivo é oferecer mais que uma nova semente, porque elas representam uma solução tecnológica para os produtores'', diz Miranda. Além das cultivares, a Embrapa aproveitou o evento para apresentar o Sistema Integrado de Diagnose e Recomendação (DRIS), um método matemático que avalia o estado nutricional da soja. O DRIS foi elaborado a partir de um banco de dados com 2.400 amostras de cinco regiões representativas do Paraná.

O software utiliza-se das informações sobre produtividade e análise foliar da soja para emitir resultados quanto a deficiências ou os excessos dos macro e micronutrientes, indispensáveis para o equilíbrio nutricional das plantas. ''O sistema analisa cada nutriente em relação aos outros elementos, justificando sua menor ou maior importância para definição da produtividade'', explica o pesquisador Áureo Lantmann, da Embrapa Soja, que desenvolveu o sistema.

Segundo ele, a análise de solo é o maior indicador da situação de fertilidade do solo, enquanto que e a análise foliar revela o estado

nutricional das plantas de soja. ''Com as informações de análise de solo, de análise foliar e mais os índices apresentados pelo DRIS é possível avançar muito no que diz respeito à eficiência da adubação'', garante Lantmann.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink