Sindicatos rurais da região norte de MT reúnem-se em Nova Mutum

Evento

Sindicatos rurais da região norte de MT reúnem-se em Nova Mutum

Os produtores tiraram dúvidas sobre as mudanças do Funrural para 2018, já que em janeiro deste ano foi divulgada a Lei 1.606/2018
12 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

Os Sindicatos Rurais que compõem a Regional 5 da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) se reuniram (28/09) em Nova Mutum, com o presidente do Sistema Famato, Normando Corral, e os diretores, Vilmondes Tomain (Administrativo e Financeiro) e José Luiz Fidelis (Relações Institucionais), para discutir as principais demandas do setor produtivo rural da região norte do estado.

No encontro, os produtores tiraram dúvidas sobre as mudanças do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) para 2018, já que em janeiro deste ano foi divulgada a Lei 1.606/2018, que instituiu o Programa de Regularização Tributária para regulamentar o passivo do Funrural.

Os presidentes e representantes de sindicato também discutiram estratégias de trabalho, levando em consideração a não obrigatoriedade da Contribuição Sindical Rural. “Agora chegou a hora de sabermos que aqueles que representamos querem por nós ser representados", disse Normando Corral.

Para o presidente do Sindicato de Nova Mutum, Emerson Zancanaro, o sindicato é importante para manter a representatividade e a união do setor agropecuário com a Federação. É necessário repensar e avaliar de que forma o sistema sindical rural continuará trabalhando e tornando essa representatividade atrativa ao produtor.

Além disso, foi abordada a continuidade das obras de duplicação da BR-163 que compreende o trecho do Posto Gil/Sinop. Na oportunidade, o presidente do Sindicato Rural de Nova Maringá, Alexandre Pizzolato, falou da infraestrutura deficitária das rodovias 160, 249 e 492.

Outro assunto debatido foi o pagamento do Imposto Territorial Rural (ITR). No entanto, as discussões são sobre o valor de terra nua estipulado pela prefeitura municipal de cada região, fator que determina o imposto. Para os produtores, os valores cobrados são abusivos em diversos locais. Parte das prefeituras municipais de Mato Grosso fizeram convênio com a Receita Federal para a cobrança do ITR. Com isso, passaram a contar com toda a arrecadação do imposto, enquanto que antes recebiam apenas a metade da quantia. “O problema é que algumas prefeituras informam o valor de terra nua com base no mercado, em vez de considerar o imóvel por natureza, sem benfeitorias e investimentos no solo”, disse o presidente do Sindicato Rural de Vera Vidimar Siliprandi.

Os produtores discutiram ainda a contratação dos cursos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) pelos sindicatos rurais, sobre o Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e eleições 2018. Participaram da reunião os presidentes Emerson Zancanaro (Nova Mutum), Vidimar Siliprandi (Vera), Alexandre Pizzolato (Nova Maringá), Tiago Stefanello (Sorriso), Carlos Simon (Lucas do Rio Verde), Valcir Batista (Ipiranga do Norte), Albino Castilho Ruiz (Nova Ubiratã), Diogo Molina (União do Sul) e representando o sindicato de Sinop participou o diretor João Marcos Bustamante.

A Regional 5 é composta por 13 sindicatos: Tabaporã, Cláudia, Sinop, Vera, Ipiranga do Norte, Nova Ubiratã, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, São José do Rio Claro, Tapurah, Nova Maringá e União do Sul.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink