Sistema Famato está à procura de propriedades que apostam na diversificação da produção

Agronegócio

Sistema Famato está à procura de propriedades que apostam na diversificação da produção

O Sistema Famato está em busca de bons exemplos de diversificação de produção.
305 acessos

O Sistema Famato está em busca de bons exemplos de diversificação de produção. A segunda edição do Prêmio Sistema Famato em Campo, que está com inscrições abertas, vai reconhecer as propriedades mato-grossenses que trabalham com atividades diversificadas, de agricultura, pecuária, floresta plantada e agroindústria. A interação entre as atividades será um diferencial. As boas práticas agropecuárias, gestão econômica e socioambiental também serão levadas em consideração.

“Este ano, o Prêmio alcança todos os modelos de produção. Queremos encontrar produtores rurais que estão tendo bons resultados por meio da utilização de técnicas diferenciadas. E isso não depende do tamanho da propriedade e nem de qual região de Mato Grosso ela está localizada”, explica o gestor do núcleo Técnico da Famato, Guto Zanata.

Zanata conta que a primeira edição do Prêmio, realizada no ano passado, permitiu que produtores de todas as regiões do estado apresentassem seus resultados. Segundo ele, também foi possível conhecer e divulgar pequenas, médias e grandes propriedades. “Em 2015, o nosso foco era as propriedades de pecuária de corte. Tivemos uma propriedade de 320 hectares entre as sete escolhidas como referência em Mato Grosso”.

A propriedade citada por Zanata é a Estância Bacuri, localizada em São José dos Quatro Marcos. Dentre os pontos que chamaram a atenção dos avaliadores está a lotação de 8,33 garrotes por hectare no período das águas, o equivalente a 3,75 UA/ha, enquanto a média  nas fazendas de Mato Grosso gira em torno de uma Unidade Animal por hectare (1 UA/ha). A reforma e adubação da pastagem foram essenciais para o resultado. 

Dentre as propriedades já inscritas na segunda edição do Prêmio está uma que possui produção de leite e floresta em 100 ha. Na fazenda o sombreamento das árvores é usado para o conforto das vacas e  por meio de um pastejo racional dentro da Integração Pecuária Floresta (IPF) os dejetos dos animais serve de adubação para a pastagem. “É isso que nós queremos. Exemplos simples, mas que podem servir de modelo para outros produtores. Muitas vezes para quem faz já é algo cotidiano, mas para outro produtor pode ser uma inspiração a ser seguida”, destaca Zanata.

Este ano o prêmio Sistema Famato em Campo conta com o apoio da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), do Instituto do Algodão Social (IAS) e do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMA).

Pode participar propriedades rurais localizadas exclusivamente em Mato Grosso que possuem diversificação horizontal, que é a produção de duas ou mais culturas, ou diversificação vertical, a realização de várias etapas de produção de um determinado produto.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink