SLC Agrícola deve investir em produção de álcool
CI
Agronegócio

SLC Agrícola deve investir em produção de álcool

Há estudos em andamento na empresa para aquisição de uma usina de álcool em SP
Por:

Dos R$ 292,3 milhões que a SLC Agrícola espera captar em recursos líquidos com a oferta primária de ações no mercado, em torno de R$ 204 milhões (70%) serão destinados a investimentos. No prospecto entregue à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa informa a intenção de aplicar os recursos em expansão da área cultivada e aquisição de máquinas e equipamentos. Mas, especula-se no mercado que há estudos em andamento na empresa para aquisição de uma usina de álcool no estado de São Paulo.

Os planos da SLC Agrícola parecem estar guardados a sete chaves, não revelados até mesmo a parceiros próximos da empresa há muitos anos. Um grande produtor de algodão em Mato Grosso, onde a SLC mantém parte de sua produção agrícola, afirmou ao jornal que desconhece essa intenção, e que só sabe, a partir de uma conversa com um dos sócios, que a empresa tem um programa de aumento de área plantada a longo prazo. Recentemente, a empresa teria adquirido uma propriedade de 10 mil hectares no sudoeste da Bahia. "O único projeto de bionergia em que a empresa está envolvida é o de uma usina de biodiesel em Mato Grosso, mas que é um projeto da associação de produtores de algodão do estado", diz o cotonicultor, que preferiu não se identificar.

Mas, segundo fontes do mercado, a empresa fez no ano passado um estudo interno sobre a viabilidade de aquisição de uma usina de álcool. O estudo teria reprovado o investimento, pois, em plena febre do etanol, os valores das companhias estariam superestimados, o que demandaria muito capital e longo prazo de retorno. No entanto, este ano, a empresa teria contratado uma conceituada consultoria de análise de risco para fazer um outro estudo sobre a viabilidade do negócio.

Para analistas, é muito improvável que uma empresa do porte da SLC não entre no mercado bioenergético. O grupo é considerado um dos maiores produtores agrícolas brasileiros com cultivo de 117 mil hectares na safra 2006/07, entre soja, milho e algodão, este último o carro-chefe da SLC Agrícola, que é o segundo maior produtor de algodão em pluma do Brasil. De janeiro a março deste ano, a empresa teve receita líquida de R$ 61,2 milhões, ante os R$ 39,4 milhões do mesmo período de 2006.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink