Soja

Soja: 44,06% da área da safra 2017/2018 foi semeada em Mato Grosso

Na última semana, segundo o Imea, a cotação da soja subiu 0,78% e fechou em R$ 57,25 por saca no estado
Por:
558 acessos

Na última semana a semeadura de soja da safra 2017/2018 atingiu 44,06% em Mato Grosso, vindo acompanhada de um ritmo a campo bastante heterogêneo entre as regiões produtoras do estado. Isso se deve, principalmente, as chuvas desta safra, que vieram mais atrasada em relação à safra 2016/2017 e em menor quantidade, afirma o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). Mas, de acordo com as previsões climáticas, para novembro os volumes de chuvas tendem a aumentar, o que pode dar um folego às regiões mais atrasadas a campo.

Mas, mesmo assim, a quantidade tende a ser abaixo da média dos últimos cinco anos na maior parte do Estado. Neste momento, as condições climáticas são uma grande preocupação aos produtores, pois a possibilidade em torno de ressemeadura de algumas áreas ganha força em algumas regiões. Além disso, a preocupação em torno da janela de semeadura da 2º safra, principalmente do milho, é outro fator de atenção. Apesar de todas as preocupações, a consolidação da safra 2017/2018 está em aberto.

Preço da soja

O preço da soja disponível em Mato Grosso encerrou a última semana em alta de 0,78%, com preço médio de R$ 57,25 por saca. A sua valorização ocorreu devido ao incremento ocorrido no dólar. A semeadura da soja atingiu 44,06% em Mato Grosso, apontando na última semana o maior avanço semanal dos trabalhos a campo da safra 2017/2018, de 18,23 pontos percentuais.

Colheita americana

Na última semana a colheita de soja da safra 2017/2018 nos Estados Unidos voltou a ganhar forte ritmo, registrando 83% da área total colhida, o que representa um avanço de 13 pontos percentuais em sete dias. Com isso, a colheita estadunidense volta a registrar patamares semelhantes ao apresentado em 2016. A intensificação dos trabalhos a campo deve-se, principalmente, à melhora do clima, que agora se mostra mais quente e seco no cinturão agrícola.

De acordo com o Imea, o salto na oferta imediata de grãos da safra dos EUA, acima do que o mercado aguardava, já apresenta impacto nos preços externos, que registraram movimento de queda neste momento. Para as próximas semanas, as previsões ainda indicam um clima benéfico aos trabalhos a campo da safra 2017/2018. Desta forma, o bom avanço da colheita nos EUA, somado às previsões de melhora climática nas regiões produtoras do Brasil, pode servir como resistência aos preços internacionais no curto prazo. Fonte: Imea.

 

 

 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink