Agronegócio

Soja: potenciais benefícios para a saúde

Atualmente, diversos produtos formulados com soja estão disponíveis no mercado atendendo tanto ao apelo da dieta saudável, quanto a demandas especiais de consumidores com alergia à lactose
Por:
2013 acessos
O consumo de soja no Brasil esteve, durante muito tempo, limitado à alimentação animal e à produção de óleos. A ampla divulgação dos benefícios da soja para a saúde e a maior oferta de produtos no mercado está colocando essa leguminosa na mesa dos brasileiros. O tema será discutido na Conferência Internacional sobre Utilização de Soja, que acontece de 22 a 24 de outubro, em Bento Gonçalves, RS.

Durante muito tempo o consumo de soja esteve vinculado a alimentos gordurosos, resultantes de frituras e condimentos. Contudo, o crescimento da classe média brasileira trouxe junto novos conceitos de alimentação saudável, abrindo oportunidade para a indústria investir na elaboração de alimentos funcionais e nutricionalmente equilibrados. Atualmente, diversos produtos formulados com soja estão disponíveis no mercado como bebidas, chocolates, cookies, barra de cereais, macarrão, hambúrguer, pães, sorvetes, pratos prontos e diversos congelados que atendem tanto ao apelo da dieta saudável, quanto a demandas especiais de consumidores com alergia à lactose.

De acordo com a pesquisadora da Embrapa Trigo, Mercedes Carrão Panizzi, a soja tem proteínas com qualidades superiores às principais plantas utilizadas na alimentação e semelhantes à proteína animal. “A proteína da soja é a única proteína vegetal que contem todos os aminoácidos essenciais ao crescimento e manutenção do organismo”, explica a pesquisadora. 

A soja também apresenta diversos compostos bioativos que retardam o envelhecimento e o aparecimento de doenças. Estudos do pesquisador Mark Messina, da Universidade de Loma Linda – Califórnia/EUA, mostram que o consumo diário de alimentos à base de soja está associado à menor incidência de câncer de mama e de próstata, menor risco de oesteoporose e efeitos da menopausa, disfunções na tireoide e doenças coronárias. Pois, o controle dos níveis de colesterol com a proteína de soja é uma das maiores descobertas da ciência moderna, enquanto que as doenças cardiovasculares ainda respondem por 30% das mortes no mundo, custando cerca de US$ 863 bilhões a economia mundial.

Antes de sair por aí consumindo tudo que tem soja na composição, a pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos llana Felberg relata a necessidade de avaliar se houve perda ou alteração de compostos importantes da soja após o processamento dos produtos dela derivados: “A pesquisa tem trabalhado em processamento tecnológico de alimentos que minimizam perdas de compostos bioativos e resultam em produtos agradáveis ao paladar”.  

A utilização de soja como hortaliça começou a chegar ao mercado recentemente, a partir do desenvolvimento de cultivares com características especiais adequadas a esses tipos de produtos como soja verde, brotos e soja preta, que já são tradicionais na culinária oriental. Segundo Mercedes Carrão Panizzi, “nos estágios iniciais de crescimento e no estágio verde, antes de amadurecer, a soja apresenta melhor valor nutritivo, com maior teor de vitamina C e pró-vitamina A”. Além dos já conhecidos tofu (queijo de soja), shoyu (molho) e miso (pasta), diversos outros nomes de pratos japoneses estão se popularizando rapidamente no Brasil, como edamame (grãos de soja fervidos em água) e moyashi (brotos).

Serviço:

"Américas: Conferência Internacional sobre Utilização de Soja”
Data: 22 a 24 de outubro
Local: Dall’Onder Grande Hotel em Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul
Mais informações no site www.icsu2013.com.br
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink