Soja deve voltar a render mais que milho no Paraná

Agronegócio

Soja deve voltar a render mais que milho no Paraná

Na safra 2007/08 a rentabilidade da soja será em média de R$ 457 por hectare
Por:
91 acessos

Depois de dois anos difíceis, a soja volta a oferecer margens mais lucrativas que o milho no Paraná - principal produtor da gramínea no país. Estudo da Agroconsult revela que, na safra 2007/08 a rentabilidade da soja ao produtor será em média de R$ 457 por hectare, ante R$ 236 por hectare do milho. A diferença de margem entre os produtos deve-se principalmente à tendência de queda nos preços internacionais do milho, alta nos preços da soja e elevação nos custos de produção, explica Fabio Meneghim, analista da Agroconsult.

Para o milho, a consultoria prevê uma produtividade média no Estado em torno de 110 sacas por hectare. Já o custo por hectare deve sair de R$ 1.363 para R$ 1.547 por hectare, o equivalente a 13,5%. O aumento nos custos decorre principalmente da elevação nos preços de sementes (20%) e fertilizantes (23%). "A lavoura de milho demanda muito nitrogênio e potássio, que tiveram aumentos superiores a 50% no mercado internacional", observa Meneghin.

Com a alta nos custos e redução nos preços internacionais, a rentabilidade por hectare deve baixar de R$ 435 para R$ 236 por hectare. "O Estado também teve uma produtividade incrível na safra passada, de 115 sacas por hectare. No próximo ciclo esse volume deve se reduzir, para 110 sacas. Não é um mal negócio, mas é uma rentabilidade 45% menor."

Para a soja, a consultoria prevê aumento na margem do produtor de 8% em relação à safra passada, passando de R$ 422 para R$ 457 por hectare. A produtividade média, segundo Meneghim, deve se manter estável em 50 sacas por hectare. Os custos de produção, por sua vez, terão alta de 9,9%, passando de R$ 844 para R$ 928 por hectare. O aumento deve-se principalmente à alta de 23% nos fertilizantes. Ele também cita alta nos gastos com maquinário (de 10%), sementes (25%) e transporte (15%).

Na estimativa da Agroconsult, a área de soja deve crescer até 1,5 milhão de hectares no Paraná na safra 2007/08, sobre os 3,9 milhões de hectares no ciclo passada, segundo Secretaria de Agricultura do Estado do Paraná. Para o milho, a previsão é de manutenção da área plantada ou de pequena redução. No ciclo 2006/07, o Estado cultivou 1,3 milhão de hectares na safra de verão, segundo a Secretaria.

"Os produtores de soja poderão reviver o que ocorreu entre 2002 e 2004, quando a rentabilidade do grão no Paraná ficou sempre acima de R$ 500 por hectare", afirma Meneghim. Segundo ele, o cenário também é positivo para produtores de Goiás, São Paulo e Minas Gerais. "O produtor do Mato Grosso também deve ter boa rentabilidade", diz.

Luiz Lourenço, presidente da Cocamar, confirma o cenário positivo para grãos no Paraná, mas observa que o Estado tem cenários diferentes, dependendo da região. No sul do Estado, onde a produtividade do milho atinge níveis recordes, o milho deve se manter mais rentável que a soja. Já no norte e noroeste do Paraná, a soja voltará a ser mais rentável que o milho. "Estamos preocupados apenas com a falta de chuvas no Estado. Para a soja não há problema, mas para o milho, 15 dias sem chuva pode destruir a lavoura", afirma. A Cocamar originou na safra 2006/07 em torno de 1,2 milhão de toneladas de grãos, entre soja, milho e trigo. Para a safra 2007/08 a cooperativa espera produção de grãos 5% maior.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink