Soja fecha semana em alta nos EUA

ANÁLISE AGROLINK

Soja fecha semana em alta nos EUA

Principal fator de suporte são as constantes revisões para baixo na produção de soja brasileira
Por: -Leonardo Gottems
116 acessos

O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago registrou na sexta-feira (25.01) alta de 9,25 pontos no contrato de Março/19, fechando em US$ 9,2525 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT também fecharam a sessão com valorizações entre 8,75 e 9,25 pontos.

Os principais contratos futuros fecharam a semana com ganhos no mercado norte-americano da soja. O principal fator de suporte são as constantes revisões para baixo na produção de soja brasileira, diante da seca em vários estados produtores, e da produção argentina, com inundações em áreas importantes.

“Vale destacar também que o óleo está ajudando a puxar o complexo, impulsionado pelas boas demandas de exportação de óleo de palma na Malásia, que subiram 24,6% nos primeiros 25 dias de janeiro em relação ao mesmo período de dezembro”, aponta o analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica. 

De acordo com a Consultoria AgResource, desde o início dos conflitos comerciais entre os EUA e a China, os importadores asiáticos da soja centralizaram as compras para a oferta abundante do Brasil, que dominou a demanda chinesa de maio de 2018 até o presente momento: “No entanto, baseado na fila de navios originados na China, há uma programação de que quase 1 MT à serem embarcadas nos EUA, em fevereiro. Este seria o maior volume dos últimos 9 meses. Este evento pode indicar a inclinação de uma aposta dos asiáticos na potencial reconciliação”.

A ARC ressalta que tais embarcações podem ser “canceladas ou redirecionadas, entretanto demonstra um sinal positivo para o relacionamento entre Trump e Jinping. De janeiro a dezembro de 2018, o Brasil exportou diretamente para China um total de soja em grão de 66 MTs, sendo 15 Mts acima de 2017. No mesmo período, os EUA embarcaram apenas 16,6 Mts, sendo 16 MTs a menos que o ano anterior”, concluem os analistas.
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink