Sojicultores do Oeste da Bahia investem R$ 2,42 milhões em adequações socioambientais no Programa Soja Plus

Agronegócio

Sojicultores do Oeste da Bahia investem R$ 2,42 milhões em adequações socioambientais no Programa Soja Plus

Também houve adequações ambientais em recuperação de áreas degradadas
Por:
748 acessos

Também houve adequações ambientais em recuperação de áreas degradadas

O Soja Plus Bahia termina 2016 com a apresentação de resultados concretos de um ano e meio do convênio com a Fundação Solidaridad e o IDH. Os sojicultores do Oeste da Bahia investiram R$ 2,42 milhões como contrapartida aos 270 mil euros (R$ 972 mil) aportados pelo fundo holandês IDH.

Para a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), coordenadora nacional do Soja Plus, o montante investido pelos produtores baianos mostra a credibilidade na orientação técnica dos supervisores de campo do Soja Plus, que aplicam nas visitas técnicas às fazendas cerca de 180 indicadores socioambientais.

A contrapartida prevista no projeto aprovado era de R$ 1,5 milhão, mas os produtores do Soja Plus Bahia superaram essa meta em 61%, com investimentos em adequações de construções rurais, tais como tanque de abastecimento de combustível, lavanderia de EPI’s, alojamento e refeitório para funcionários, galpão de máquinas e implementos agrícolas. Também houve adequações ambientais em recuperação de áreas degradadas, além de regularização de áreas de reserva legal e de preservação permanente.

“O sojicultor participante do Soja Plus Bahia entendeu a importância de se adequar às legislações trabalhistas e ambientais e às demandas dos importadores de mercados exigentes, como o europeu”, diz Bernardo Pires, coordenador nacional do programa de gestão econômica, social e ambiental, que também está implantado em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

O projeto com a Solidaridad atingiu 130 fazendas que trabalham no bioma Cerrado da nova fronteira agrícola brasileira, o Matopiba. São nove os municípios localizados na região Oeste da Bahia: Baianópolis, Barreiras, Côcos, Correntina, Formosa do Rio Preto, Jaborandi, Luís Eduardo Magalhães, Riachão das Neves e São Desidério.

Os produtores participaram de 19 cursos sobre: gestão de custos da empresa rural, legislação trabalhista, saúde e segurança do trabalhador rural, adequação ambiental e negócio certo rural. O Soja Plus Bahia também ofereceu aos produtores dias de campo, oficinas e seminários, além de placas orientativas e kits de primeiros socorros.

No âmbito do projeto com a Solidaridad, o Soja Plus Bahia, gerenciado pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), produziu, também, cartilha ilustrada para orientar o produtor rural sobre como se ajustar ao Código Florestal e como cumprir a legislação ambiental estadual.

Para a Solidaridad e o IDH, a parceria com o Soja Plus é uma oportunidade para 1) fortalecer iniciativas de apoio aos produtores nas boas práticas socioambientais e de gestão, que permitem melhorar a produtividade; 2) estimular acesso a novos mercados; 3) melhorar a sustentabilidade da propriedade.

“Os resultados positivos do Soja Plus Bahia mostram que o programa deve ser replicado em outros estados sojicultores”, diz Cindy Silva Moreira, coordenadora de sustentabilidade da Abiove. A associação, que reúne empresas processadoras e comercializadora do complexo soja, trabalha em parcerias com entidades que têm um objetivo comum: tornar a cadeia da soja cada vez mais sustentável.

Para ler o relatório completo, clique no link:

http://sojaplusbahia.com.br/wp-content/uploads/2016/11/contrapartida-produtores-soja-plus-bahia.pdf

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink