Arroz

Solicitadas cotas para arroz uruguaio e paraguaio

Lavoura de trigo foi a que registrou maior queda durante o mês passado, com diminuição de 4,6%
Por:
78 acessos

Em momento de tensão entre Uruguai e Brasil sobre a importação de leite, entidades agrícolas ligadas à produção de arroz solicitaram formalmente, em Brasília, uma intervenção, por parte do governo federal, para a estipulação de cotas de importação de arroz proveniente do Uruguai e do Paraguai. Estiveram ontem, na capital federal, representantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) e Federação das Associações de Arrozeiros (Federarroz), além membros de associações do Paraná e Santa Catarina.

Os produtores alegam uma concorrência desleal de preços. "O custo Brasil afeta todos os setores, nossos agroquímicos tem preços mais elevados, nossa energia é mais cara, nosso combustível também", afirma o diretor jurídico da Federarroz, Anderson Delloli.

"A área de produção paraguaia tem aumentado vertiginosamente nos últimos anos e o preço de insumos de lá, como a gasolina, proporcionam uma concorrência desleal", afirma o advogado.

As entidades esperam que os preços praticados cubram os custos de produção. O advogado explica que a intenção não é prejudicar a entrada de produtos no País, mas regular o seu comércio.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink