SP: desarticulado abate clandestino de suínos na região de São José do Rio Preto
CI
Imagem: Pixabay
PECUÁRIA

SP: desarticulado abate clandestino de suínos na região de São José do Rio Preto

Um abate clandestino de suínos foi desarticulado nesta quinta-feira, 14
Por:

Um abate clandestino de suínos foi desarticulado nesta quinta-feira, 14, no município de Nova Granada, em ação realizada por uma equipe da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, que atua junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária, em conjunto com a Polícia Militar Ambiental de São José do Rio Preto. No momento da abordagem estava em curso o abate de suínos.

No mesmo local foram encontrados 613 suínos sem cadastro ou histórico sanitário junto à Defesa Agropecuária. “As carcaças e os produtos foram apreendidos e encaminhados a uma graxaria, registrada junto a um órgão oficial, uma vez que eles estavam impróprios para o consumo devido a situação onde eram realizados os abates, sem nenhuma norma de higiene ou sanitária e a propriedade foi interditada” disse o médico veterinário João Gustavo Pereira Loureiro, que atua junto ao Serviço de Inspeção de São Paulo (SISP).  

Os responsáveis foram instruídos e orientados a regularizar seu criatório a fim de que a propriedade seja desinterditada. “O foco da ação realizada pela Coordenadoria de Defesa Agropecuária não é só coibir a produção e a distribuição desses produtos, mas de fomentar a produção, ou seja, tirar o produtor da clandestinidade e trazê-lo para a licitude, impedindo que esses produtos sem o devido controle higiênico sanitário coloquem em risco a saúde do consumidor”, disse o médico veterinário Luiz Henrique Barrochelo, coordenador da Defesa Agropecuária, que participou da ação em conjunto com a Polícia Militar Ambiental.

Pelo abate clandestino o valor da infração pode chegar a mil Ufesps (unidades fiscais do estado de São Paulo) e por deixar de requerer a ficha cadastral dos animais 100 Ufesps. O valor da Ufesp em 2021 é de R$29,09.

Os implicados poderão responder por processo crime por ferir as relações de consumo e passarão pela vistoria da Cetesb.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink