SP anuncia novas medidas para prevenção de doença em pomares

Agronegócio

SP anuncia novas medidas para prevenção de doença em pomares

Depois de quase uma década de uma legislação restritiva, os órgãos de Defesa do Estado conseguiram ter os menores índices de infestação da doença no país
Por:
323 acessos
Com a redução dos índices estaduais de infestação de cancro cítrico nos pomares paulistas, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento toma algumas novas medidas no controle da doença. Por meio de resolução assinada pelo secretário João Sampaio, o método para eliminação das plantas contaminadas com cancro seguirá a resolução 291 da Canecc (Campanha Nacional de Erradicação do Cancro Cítrico), do Ministério da Agricultura, a qual prevê a erradicação da planta doente e das demais num raio de 30 metros.

'Depois de quase uma década de uma legislação restritiva, os órgãos de Defesa Agropecuária do Estado, num trabalho conjunto com os citricultores, conseguiram ter os menores índices de infestação da doença no País e, com isso, podemos seguir a legislação federal que é menos restritiva', afirma o secretário. Até hoje, o Estado de São Paulo também previa, além dos 30 metros de raio, que, uma vez, ultrapassado o percentual de 0,5% de infestação do talhão (parte do pomar cujo número de plantas depende do tamanho total) era obrigatória a erradicação de todas as plantas do talhão.

Na medida, a Secretaria prevê a realização de estudos e monitoramento da incidência de cancro cítrico, com o objetivo de avaliar a eficiência desses procedimentos pelas áreas de pesquisa e defesa agropecuária. 'Essa nova medida cobra do citricultor ainda mais envolvimento no manejo sanitário do pomar, porque temos de continuar com os índices em baixa em todo o Estado'.

Além da resolução do cancro, a Secretaria também finaliza um projeto para implantar a subvenção do seguro contra as pragas de cancro cítrico e greening. 'É um projeto pioneiro no mundo e que está exigindo estudos complexos pela área técnica e jurídica da Secretaria. O seguro atenderá principalmente os pequenos e médios produtores. Esperamos colocar em operação ainda neste segundo semestre', explica Sampaio.

A Secretaria também inicia estudos para aquecer a demanda por suco de laranja no mercado interno e assim preços melhores ao produtor. A primeira delas seria a introdução de suco de laranja nas 30 unidades dos restaurantes Bom Prato do Governo do Estado, onde são servidas aproximadamente 40 mil refeições por dia. Também começa um trabalho junto às prefeituras municipais para inclusão do suco de laranja na merenda escolar. Os institutos de pesquisa da Secretaria vão produzir, ainda, documentos com recomendações nutricionais do suco de laranja, visando incremento de seu consumo.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink