Suinocultores mineiros discutem meio ambiente e negócios

Agronegócio

Suinocultores mineiros discutem meio ambiente e negócios

No dia 04 de novembro, suinocultores mineiros estiveram presentes na sede da Asemg (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais), em Belo Horizonte, para conhecerem uma nova tecnologia aplicada no tratamento de dejetos suínos
Por:
589 acessos
No dia 04 de novembro, suinocultores mineiros estiveram presentes na sede da Asemg (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais), em Belo Horizonte, para conhecerem uma nova tecnologia aplicada no tratamento de dejetos suínos e participarem da já tradicional Bolsa de Suínos mineira. “Levar informação e novidades do mercado ao suinocultor é uma das tarefas da Asemg e o assunto meio ambiente é um tema que precisa ser debatido e repensado” disse Manoel Teixeira Lopes, diretor de Meio Ambiente da Asemg.

Dando início às atividades , os produtores participaram da palestra “Uma Nova Realidade Sobre Sistema de Tratamento de Dejetos Suínos” ministrada pelo suinocultor Renato Baccin, Presidente do Núcleo Regional Amauc-Concórdia (ACCS) e Sócio Proprietário da LPC Tecnologia Ambiental. “Através desta palestra os colegas mineiros tiveram contato com um novo conceito de produção, voltado para a preservação do meio ambiente, eliminando os riscos, produzindo adubo orgânico e aumentando a rentabilidade da atividade” explicou Baccin.

Para João Bosco Martins de Abreu, presidente da Asemg, o conhecimento de soluções como a apresentada por Baccin é de grande importância para o desenvolvimento sustentável da suinocultura. “Precisamos produzir sem agredir o meio ambiente e uma solução onde os dejetos suínos líquidos são transformados em adubo sólido e seco gerando economia no tratamento de efluentes e melhorarias na rentabilidade devem ser analisadas com bastante atenção” comentou o presidente.

Após a palestra, os suinocultores se reuniram para discutir as tendências do mercado mineiro e em seguida deram início à Bolsa de Suínos. Após muita negociação, os produtores mineiros conseguiram alta de R$ 0,10 elevando o quilo do suíno vivo para R$ 3.60. “O mercado de suínos em Minas, assim como demais Estados do país, encontra-se em um período muito positivo. A alta da carne bovina e a época do ano em que tradicionalmente o consumo da nossa carne é maior nos deixam confiantes sobre um mercado forte e em ascensão” explicou José Arnaldo Cardoso Penna, vice presidente da Asemg.
 
As informações são da assessoria de imprensa da Asemg - (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais).
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink