Agronegócio

Syngenta alerta sobre doença em vegetais

A Hérnia das Crucíferas pode causar prejuízos de até 70%
Por: -Redação
22 acessos

A Hérnia das Crucíferas, doença que atinge cultivos de repolho, couve-flor, brócolis, couve chinesa e outros vegetais, pode causar prejuízos de até 70% se não for devidamente controlada. Esse é o alerta da Syngenta, empresa que oferece ampla gama de defensivos especializados e sementes para horticultores profissionais.

A doença é causada pelo fungo Plasmodiophora brassicae. Inicialmente, as folhas apresentam coloração verde pálido, quase amarela, com sintomas de murcha nas horas mais quentes do dia. “O sintoma característico desta enfermidade é a formação de galhas no sistema radicular em decorrência da rápida e desordenada multiplicação das células, em tamanho e número, induzidas pelo patógeno”, explica Alecio Schiavon, Gerente de Desenvolvimento de Brássicas e Melancia da Syngenta Seeds.

A solução mais econômica para evitar os prejuízos causados pela Hérnia das Crucíferas é optar por cultivares com tolerância à doença. A Syngenta Seeds já comercializa no mercado brasileiro algumas variedades que apresentam bom comportamento na tolerância a esta doença. É o caso da Couve Chinesa Híbrida CR Power-80028 e do Rabanete Híbrido Cabernet. “São todos híbridos que podem ser cultivados o ano todo no País e que já demonstraram tolerância a algumas espécies do fungo”, afirma Schiavon.

De acordo com Schiavon, o controle da Hérnia das Crucíferas não é tão fácil, uma vez que o fungo pode sobreviver no solo por mais de 10 anos. “Nesse caso, além do uso de cultivares tolerantes, recomenda-se a adoção de outras práticas culturais, como a rotação de culturas com espécies não hospedeiras, realização da prática da calagem, fumigação ou solarização do solo, evitar trânsito de máquinas e pessoas oriundas de áreas infectadas, evitar o excesso e movimentação de água em área problemática, destruição de restos de plantas afetadas, erradicação de plantas daninhas entre outras precauções”, conclui o gerente. As informações são da assessoria de imprensa da Syngenta.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink