Syngenta propõe rotação de 6 moléculas para vencer resistência de daninhas

Agronegócio

Syngenta propõe rotação de 6 moléculas para vencer resistência de daninhas

Programa “Lavoura Limpa”
Por: -Leonardo Gottems
9249 acessos

O Portal Agrolink entrevistou com exclusividade o gerente de Produtos de Herbicidas da Syngenta, Francisco Gutierrez. Na pauta está o programa “Lavoura Limpa”, que propõe a rotação de seis princípios ativos para vencer a resistência de plantas daninhas. Confira:

Agrolink: Qual é o objetivo do programa Lavoura Limpa?

Francisco Gutierrez: O programa Lavoura Limpa, que fomenta o manejo correto de ervas que invadem e comprometem as lavouras, foi lançado como um aliado dos agricultores no retorno à plena produtividade, o que reforça um dos principais compromissos assumidos pelo Plano de Agricultura Sustentável da Syngenta, The Good Growth Plan, de aumentar em até 20% a produtividade média das principais culturas do mundo. 

Há cerca de 15 anos, iniciou-se o cultivo da soja resistente ao glifosato no Brasil. Isso fez com que o manejo de plantas daninhas fosse baseado em apenas um ativo: o glifosato. O uso excessivo de glifosato fez com que houvesse uma seleção de plantas daninhas resistentes e tolerantes a este ativo.

Com uma profunda compreensão do cenário que se apresentava, a Syngenta buscou resgatar, com um olhar moderno, as soluções do passado para combater esse problema que prejudica muito os agricultores, adaptou produtos e criou combinações que geraram o conjunto mais forte de ferramentas para esse fim, criando o programa Lavoura Limpa. A proposta de rotação e combinação de ativos trazida pelo programa não tem precedentes no mercado.

Agrolink: Como essa iniciativa contribui para a sustentabilidade na agricultura?

Francisco Gutierrez: Uma vez que o Programa Lavora Limpa foca no manejo correto e na aplicação de boas práticas agrícolas em prol do resgate da produtividade nas lavouras, ele está diretamente conectado à sustentabilidade na agricultura.

Agrolink: Quais são os 6 princípios ativos propostos para rotação, e como funciona esse processo?

Francisco Gutierrez: A recomendação padrão para um manejo adequado de uma infestação é a entrada com Zapp QI 15 dias antes do plantio em aplicação simultânea com o Clethodim; no dia do plantio, uma aplicação de Gramocil, que possui dois princípios ativos distintos, e Dual Gold; em seguida, na chamada fase de pós-emergência, uma aplicação de Zapp Qi simultânea à de Clethodim na etapa de maturação da safra, por fim, uma aplicação de Reglone. Os produtos com ingredientes ativos distintos agem de uma maneira diferente na planta evitando que haja o surgimento de plantas resistentes. O resultado desse sistema é um ganho de até nove sacos sobre o padrão de produtividade do agricultor.

Agrolink: Que resultados são projetados no médio e longo prazo?

Francisco Gutierrez: Com um time dedidcado de Engenheiros Agrônomos no campo, faremos a recomendação correta de acordo com a situação, fazendo com que o produtor tenha sucesso em áreas infestadas de plantas daninhas resistentes ao glifosato. Os times estão sendo muito bem acolhidos pelos produtores, já que essa é uma parceria que trará bons frutos a todos. Com uma proposta técnica forte, vários princípios ativos da Syngenta funcionando em combinação, e sinergia entre os diversos atores no campo, teremos, de fato, lavouras cada vez mais limpas daqui em diante.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink