Syngenta quer ser líder em sementes até 2028
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,764 (-0,74%)
| Dólar (compra) R$ 5,28 (1,03%)

Imagem: Marcel Oliveira

MERCADO

Syngenta quer ser líder em sementes até 2028

Meta na América Latina passa por lançamentos, pesquisa e aperfeiçoamento da produção
Por: -Eliza Maliszewski
2132 acessos

A Syngenta considera a semente o começo de tudo. Não só o começo e fator de extrema importância em uma lavoura como o foco da empresa nos próximos anos. A empresa comemorou o Dia da Semente, no último dia 21, anunciando metas no segmento. O objetivo é ser a melhor empresa de sementes da América Latina até 2028.

Como parte deste objetivo ambicioso também está a sustentabilidade. Por meio do Plano de Agricultura Sustentável (Good Growth Plan) o compromisso é investir US$ 2 bilhões em agricultura sustentável até 2025, com pelo menos dois avanços tecnológicos disruptivos ao mercado a cada ano, somado à meta de reduzir a contribuição da agricultura para a mudança climática, aproveitar sua capacidade de mitigação e ajudar o sistema alimentar a permanecer dentro dos limites planetários. “No fim do dia, o que desponta de toda as nossas ações é o nosso objetivo de auxiliar os produtores brasileiros, de todos os portes e todas as regiões, a alcançar sustentabilidade financeira e ambiental”, destaca André Franco, Líder de Negócios de Sementes para Brasil e Paraguai da Syngenta Seeds.

No Brasil serão investidos mais de US$ 80 milhões nos negócios de sementes, que serão utilizados para aperfeiçoar e ampliar a rede de produção e suprimentos, assim como para garantir aporte constante em pesquisa e desenvolvimento. Parte desse recurso será direcionado aos Centros de Pesquisa em Cascavel (PR), Uberlândia (MG), Sorriso (MT) e Lucas do Rio Verde (MT), onde são desenvolvidas novas variedades de soja e híbridos de milho mais produtivos

Como parte desta estratégia, a Syngenta relançou, no começo deste ano, a marca NK, com sementes de soja e milho. Foram ouvidos 400 agricultores de todo país que pediram a volta da marca. A expectativa é desenvolver de 15 a 20 novos cultivares de soja e 10 híbridos de milho nos próximos cinco anos, contemplando todas as principais regiões produtoras. 

A empresa ainda comemora os bons resultados com crescimento da área cultivada da safrinha de milho, ampliando a participação no mercado com o maior crescimento, segundo a Spark Consultoria. “Analisando todo o contexto, acredito que nós temos muito a aprender com as pequenas sementes: como elas, precisamos nos empenhar para o renascimento de um mundo mais sustentável e equilibrado”, destaca Franco.

Nossa equipe acompanhou o lançamento da NK e você pode rever na reportagem gravada em Palotina (PR).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink