Investimentos

Syngenta terá investimentos de US$ 1,4 bilhões em 2018

O objetivo da empresa é se consolidar dentre as gigantes do mercado de agrotóxicos
Por: -Leonardo Gottens
562 acessos

A Syngenta pretende investir um valor estimado de US$ 1,4 bilhões mundialmente durante 2018, montante cerca de 8% maior do que o observado no ano anterior, quando a empresa investiu US$ 1,3 bilhão. De acordo com informações concedidas por Erik Fyrwald, presidente global da Syngenta, ao Valor, uma das principais mudanças sofridas após a empresa ser adquirida pela chinesa ChemChina é a adoção de uma estratégia mais agressiva de crescimento. 

O objetivo da empresa com a ampliação de seus investimentos é de se consolidar no terceiro lugar dentre as gigantes do mercado de agrotóxicos. O presidente relembra que a companhia ocupou essa colocação após comprar a Nidera Seeds no fim de 2017 e afirma que a Syngenta pretende aumentar sua participação no território brasileiro. "O Brasil é a nossa grande prioridade. Com a aquisição da Nidera, fortalecemos a nossa posição no terceiro lugar", destaca. 

O Brasil é o segundo maior mercado da Syngenta, que pretende investir ainda mais no país até 2019, principalmente na área de híbridos de trigo. Fyrwad indica também que a empresa pretende trazer uma nova variedade do cereal, além de mais tecnologia para aumentar a produção de cana-de-açúcar, soja, milho e outros vegetais. 

"Eu nos vejo [Syngenta] como uma ótima ponte entre Brasil e a China. Nosso trabalho é trazer a melhor tecnologia para os agricultores brasileiros e tratar com as autoridades brasileiras para que essas tecnologias passem por processos regulatórios e garantir que essas tecnologias também sejam aprovadas na China e, aí, a ponte poderá ser aberta", comenta. 

Outra aposta é o crescimento da empresa no continente africano, que ainda demanda de mais recursos para alcançar o máximo de seu potencial econômico. "Estamos crescendo fortemente na África, entre 10% e 15%. É bom para os negócios e bom para o mundo ajudar a África a se alimentar", conclui ele.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink