Tabaco: CONICQ abre diálogo com a Amprotabaco

Agronegócio

Tabaco: CONICQ abre diálogo com a Amprotabaco

Encontro aconteceu em Brasília
Por:
761 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
Preocupados com os rumos da 6ª Conferência das Partes (COP 6), que ocorre em outubro, na Rússia, os integrantes da Associação dos Municípios Produtores de Tabaco, o prefeito Telmo Kirst, de Santa Cruz do Sul (RS), e o prefeito Marcelo Hauagge Distefano, de São João do Triunfo (PR), reuniram-se em Brasília, na última quarta-feira (24.09), com os membros da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro (CONICQ) e saíram otimistas com o resultado do encontro.

O presidente da Amprotabaco, Telmo Kirst, defende a diversificação de culturas no campo, porém é contrário à eliminação das lavouras de tabaco. “O documento que será analisado em Moscou acusa o setor do tabaco de tantas coisas que me parece que os problemas no campo estariam terminados com a extinção do tabaco no mundo”, ressalta.

A entidade solicitou a CONICQ que o governo brasileiro expresse claramente uma posição contrária a qualquer medida que possa colocar em risco as atividades de produção de tabaco nos mais de 640 municípios dos três estados do sul do país. Em resposta a comissão garantiu o posicionamento.

Telmo defendeu a diversificação. “É um completo absurdo, para não dizer um disparate, incentivar ou apoiar medidas de reconversão. O produtor deve sim estar aberto a opções, mas enquanto houver demanda no mundo vamos lutar para que a produção de tabaco fique onde está.”, disse.

Outra reivindicação da Amprotabaco refere-se ao financiamento para os produtores. “O grupo de trabalho precisa entender que a lógica de mercado não muda: enquanto houver demanda alguém produzirá e o consumo nada tem a ver com a produção. Restringir crédito a cadeia produtiva do tabaco irá penalizar 160 mil famílias que vivem dignamente desta atividade e não vamos permitir que isso aconteça”, salienta o presidente.

Kirst ainda garantiu que se o governo não cumprir com os compromissos assumidos, a Amprotabaco será responsável por uma mobilização nacional de 600 prefeitos. “Eu não quero ser responsável pela mobilização de 640 prefeitos e milhares de produtores em marcha a Brasília.”

Os Números

Há mais de 20 anos o Brasil é o maior exportador de tabaco no mundo (627 mil toneladas e US$ 3,27 bilhões de divisas em 2013) e segundo maior produtor mundial (706 mil toneladas e R$ 5,3 bilhões remunerados aos produtores). Esta atividade integra 162 mil produtores, predominantemente de agricultura familiar, e envolve 649 mil pessoas no meio rural, gerando ainda 30 mil empregos nas indústrias nos três estados do sul do Brasil.

COP 6

A Conferência das Partes é promovida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) com objetivo de discutir ações de combate ao tabagismo, entre outras ações que podem afetar diretamente os agricultores e os produtores de tabaco. 

Amprotabaco terá representantes na Rússia

A diretoria da Amprotabaco já definiu os nomes que integrarão a comitiva que participará das discussões na Rússia. O Prefeito de Canoinhas (SC), Luiz Alberto Faria, e o Prefeito de São João do Triunfo (PR), Marcelo Hauagge Distéfano, serão os representantes da Amprotabaco na COP 6.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink