Técnicos do México recebem capacitação na cultura da cana

Agronegócio

Técnicos do México recebem capacitação na cultura da cana

A iniciativa é coordenada pelo Departamento de Transferência de Tecnologia (DTT) da Embrapa
Por:
798 acessos

Conhecer de perto o sistema de produção da cana-de-açúcar no Brasil e aprofundar o conhecimento sobre os elos da sua cadeia produtiva, com apresentações teóricas e visitas a campo. Esse é o objetivo da capacitação sobre a cultura da cana para 18 técnicos mexicanos especializados em agricultura tropical do Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuárias (INIFAP).

A iniciativa é coordenada pelo Departamento de Transferência de Tecnologia (DTT) da Embrapa. A primeira parte do curso aconteceu de 5 a 9 de dezembro, em Alagoas, e foi realizada pela Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), através de sua Unidade de Execução de Pesquisa de Rio Largo, na região metropolitana de Maceió. De 12 a 16, a capacitação ocorre na Embrapa Cerrados (Brasília, DF).

O treinamento integra as ações do projeto ‘Capacitação de Técnicos do Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuárias (INIFAP)' em melhoramento, manejo e sanidade da cana-de-açúcar, firmado entre a Dirección General de Cooperación Técnica y Científica (DGCTC), por parte do governo mexicano, e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), por parte do governo brasileiro, tendo a Embrapa como instituição executora.

Na UEP-Rio Largo, os visitantes assistiram a apresentações sobre o panorama produtivo da cana no Brasil, o portfolio de pesquisa da Embrapa para o setor e diversos aspectos técnicos da cultura, como prevenção e manejo de pragas e doenças, fertilização, irrigação e manejo geral da cultura. Ministraram módulos na capacitação os pesquisadores da Embrapa, Antonio Santiago, Ronaldo Resende, Elio Guzzo, Aldomario Negrisoli Jr e Tâmara Gomes.

No campo

Para ver de perto a aplicação dos conhecimentos e práticas no cultivo da cana, aconteceram visitas a unidades agrícolas e industriais para demonstrar os diversos ramos da cadeia produtiva sucroalcooleira de Alagoas.

Os agentes mexicanos conheceram a Fazenda Santo Antônio, em São Miguel dos Campos, maior inovadora em plantio mecanizado na região, utilizando as tecnologias Plene e Cane Seed em parceria com a multinacional Syngenta, as usinas Caeté, também em São Miguel, e Usina Coruripe, na cidade de mesmo nome – maior unidade de produção no estado –, à Cooperativa Pindorama, também em Coruripe – caso de sucesso em produção agrícola cooperada no Brasil –, além da fábrica de aguardentes Caraçuípe, com alambique qualificado para visitação turística, e da indústria Gran Bio, que desenvolve processos de produção de etanol de 2ª geração no estado.

Cada um dos aspectos da produção de cana vistos na fase teórica pôde ser observado na prática em campo, com apresentações e visitas guiadas pelos coordenadores técnicos de cada unidade de produção.

Na fazenda Santo Antônio, foi possível ver em campo as inovadoras máquinas desenvolvidas a partir das engenhosas ideias do proprietário, o experiente produtor Edílson Maia, além dos processos de produção das sementes e mudas pré-brotadas e semeadura com grande eficiência e redução de custos, silagem para ração animal, plantio mecanizado e irrigação. Na cachaçaria, os técnicos mexicanos conheceram o processo produtivo do destilado que é marca registrada do Brasil.

Nas unidades industriais, os visitantes conheceram detalhes e dados do processo da produção de açúcar, etanol e geração e distribuição de energia, tanto em sequeiro como com irrigação, além de parcelas com colheita manual pós-queima e mecanizada e manejo de sustentável da palhada de cana. Na cooperativa, os visitantes conheceram processos de compostagem de resíduos.

Intercâmbio

Para o agrônomo Victor Moralez, que atua numa indústria de açúcar em Vera Cruz, apesar das condições locais serem efetivamente diferentes, o treinamento provou que há muitas coisas que podem ser melhoradas no sistema produtivo. "Agora é retornar ao México e compartilhar toda a rica informação a que tivemos acesso esses dias com os nossos gestores, na busca por novas ideias e melhoria de processos", afirmou.

Chamou a atenção do agente mexicano a intensa produção de etanol no Brasil, em contraste à realidade do México, país em que a produção petrolífera é muito intensa. "Considero importante e estratégico que o nosso país comece a investir em alternativas energéticas para o futuro", defende.

Mais fotos

Para ver todas as imagens do curso de cana para mexicanos em Alagoas na rede social Flickr, clique aqui.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink