Tecnologia da Embrapa viabiliza cultivo de seringueira no AM
CI
Agronegócio

Tecnologia da Embrapa viabiliza cultivo de seringueira no AM

Combinação de enxertias de seringueira altamente produtivas em látex com clones de seringueira com a copa resistente ao mal das folhas
Por:
Tecnologia desenvolvida pela Embrapa Amazônia Ocidental, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), permite viabilizar o cultivo de seringueira na Amazônia, a partir de uma combinação de enxertias de seringueira altamente produtivas em látex com clones de seringueira com a copa resistente ao mal das folhas. O resultado são as chamadas “árvores tricompostas”, que têm o potencial de contribuir para tornar competitiva a produtividade de cultivos de borracha natural tanto na Amazônia como em outras áreas do Brasil onde ocorre o fungo causador do mal das folhas.

São chamadas de árvores tricompostas, porque são formadas a partir da composição de três plantas: o plantio inicial é feito a partir de sementes de uma seringueira comum, que depois recebe a enxertia de outra planta de seringueira selecionada pelas suas características de boa produção e qualidade de látex, que irá formar o tronco ou painel;  quando a planta atinge o tamanho adequado recebe a enxertia de um clone de seringueira que possui copa resistente ao fungo causador do mal das folhas. A árvore resultante da combinação dessas enxertias consegue sobreviver e manter produção nas áreas onde há a presença do fungo Microcyclus ulei, que até então é o principal limitador para o cultivo racional de seringueiras na região amazônica.

As informações sobre essa tecnologia foram apresentadas pelo pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Everton Cordeiro , e fazem parte de resultados de pesquisas da Embrapa Amazônia Ocidental. As informações foram discutidas com representantes de instituições do setor agropecuário no Amazonas durante o seminário Cultivo e Produção Racional da Borracha no Estado do Amazonas, na segunda-feira, 6 de maio de 2013, na Embrapa Amazônia Ocidental em Manaus.

O objetivo do evento, realizado em parceria pela Embrapa Amazônia Ocidental e Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (FAEA), foi apresentar esses resultados a representantes de instituições fomentadoras da cadeia da borracha natural no Amazonas, a fim de elaborar uma proposta, em parceria com os diversos setores interessados em alavancar a produção de borracha natural no estado. A base dessa proposta, inicialmente, é implantar unidades demonstrativas com o plantio racional das seringueiras utilizando a tecnologia das árvores tricompostas, para validação da tecnologia em diferentes regiões do estado do Amazonas. A Embrapa Amazônia Ocidental está buscando parcerias para a produção de mudas e implantação dessas unidades demonstrativas. O plantio das seringueiras é recomendado para aproveitamento de áreas já desmatadas e também pode ser consorciado com outros cultivos agrícolas de ciclo curto.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.