Tecnologia social oferece opção de renda a famílias de Sergipe

Agronegócio

Tecnologia social oferece opção de renda a famílias de Sergipe

Projeto desenvolvido pelo Sebrae ensina aproveitamento da palma
Por: -Luiz Fialho
747 acessos

Projeto desenvolvido pelo Sebrae ensina aproveitamento da palma, vegetal utilizado para alimentar o gado; mais de um milhão de mudas já foram plantadas

Aracaju - Com 14 núcleos de tecnologia social espalhados pelo estado, o Projeto Palma para Sergipe atingiu este mês o número de um milhão de palmas plantadas. Palmas são um tipo de cacto. Foi no Assentamento João Pedro Teixeira, a 30 quilômetros de Canindé do São Francisco, onde dez produtores rurais estão sendo capacitados para utilizar a tecnologia de cultivo intensivo.

Segundo o produtor Antonio Santos, que teve o privilegio de plantar a palma um milhão, com mais conhecimento, os empreendedores estão confiantes na melhoria da produtividade e na garantia de alimento para os animais em períodos de longas estiagens. "O que estão aprendendo durante as capacitações, eles levam para as famílias e divulgam os novos conhecimentos", afirma o produtor rural.

Conforme explica Emanoel Sobral, superintendente do Sebrae em Sergipe, que acompanhou a plantação da muda um milhão ao lado do diretor Marcelo Barreto, do secretário Municipal da Agricultura, Everaldo Nunes, e do consultor Paulo Suassuna, o projeto foi concebido no primeiro semestre de 2008 com a implantação de seis Núcleos de Tecnologia Social Para Produção e Beneficiamento de Palma (NTS) nos municípios de Canindé de São Francisco, Porto da Folha, Nossa Senhora da Glória, Carira, Poço Verde e Tobias Barreto.

Cada NTS é constituído de um estande com um hectare de palma sendo beneficiado, obedecendo à tecnologia do cultivo intensivo, que permite produtividade que supera de dez a 12 vezes as obtidas no sistema tradicional. Os produtores recebem ainda um secador solar e uma casa de máquinas com uma fatiadeira e outra forrageira para a produção do farelo de palma.

Nos núcleos, com apoio das prefeituras, o Sebrae promove capacitação de produtores. Os participantes ainda recebem treinamento sobre culinária e cosméticos à base de palma.

Ampliação do projeto

Em 2010, o Sebrae deu início à implantação de mais oito núcleos nos municípios de Gararu, Graccho Cardoso, Itabi, Nossa Senhora de Lourdes, Nossa Senhora da Glória, Carira, Poço Verde e Canindé de São Francisco. Como em cada NTS são plantados 78 mil pés de palma, no curso da implantação desse novo núcleo no Assentamento João Pedro Teixeira, o Projeto Palma Para Sergipe completou um milhão de pés plantados. Em 2011, o Sebrae pretende ampliar o projeto para mais oito municípios sergipanos, segundo informa Emanoel Sobral.

O Secretário da Agricultura de Canindé, Everaldo Nunes, destaca a importância do projeto e da receptividade dos produtores, Sebrae e prefeitura. "O projeto está ajudando a mudar a vida de centenas de famílias", ressalta o secretário. "É uma iniciativa que melhora a produtividade das propriedades e ajuda as comunidades a enfrentarem as dificuldades em época de seca", assinala Everaldo.

O consultor Paulo Suassuna lembra que a média de produção nacional da palma miúda no sistema de plantação tradicional é de 30 toneladas por hectare. Na Paraíba, utilizando o sistema intensivo praticado nos Núcleos de Tecnologia Social, o recorde foi de 500 toneladas por hectare. Esta produção foi ultrapassada pelo Núcleo de Canindé, que obteve 552 toneladas por hectare.

Já a palma doce, que no sistema tradicional chega a 40 toneladas por hectare, a maior produção obtida na Paraíba utilizando o sistema intensivo era de 611 toneladas por hectare. Em Canindé, a produção chegou a 732 toneladas por hectare.

Serviço:
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink