Tecnologias da DSM geram mais de uma arroba adicional por animal no confinamento

Agronegócio

Tecnologias da DSM geram mais de uma arroba adicional por animal no confinamento

Tour DSM de Confinamento avalia bovinos de corte que registraram ganho adicional de mais de uma arroba
Por:
241 acessos

Especialistas da DSM, detentora da marca Tortuga, e pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade São Paulo (Cepea – Esalq/USP), reuniram pecuaristas e técnicos em Piracicaba (SP), em 28 de novembro, para divulgar os resultados da terceira edição do Tour DSM de Confinamento. Nesta edição, mais de 1 mil produtores viram de perto os avanços nos índices econômicos da atividade e zootécnicos dos animais pela aplicação dos produtos da linha Fosbovi® Confinamento com CRINA® e RumiStar™, lançada em 2015.
 
Em seis etapas, realizadas em alguns dos principais confinamentos dos Estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás de agosto a outubro, a avaliação dos técnicos da DSM e do Cepea comprovou que os produtos da linha contribuíram para a produção de animais bem acabados, com melhor conformação de carcaça e mais pesados, com ganho adicional de, no mínimo, uma arroba a mais por bovino durante o ciclo de confinamento; em alguns casos, o ganho foi de até duas arrobas a mais. “Uma arroba adicional gera aos produtores o equivalente a um animal a mais a cada 18 bovinos confinados”, conta o zootecnista Marcos Baruselli, gerente de categoria Confinamento da companhia. “No caso dos bovinos que ganharam até duas arrobas a mais, as tecnologias da DSM permitiram aos pecuaristas impulsionar as tradicionais seis arrobas geradas no ciclo do confinamento para oito arrobas”, completa o especialista.
 
Sobre o Tour DSM de Confinamento, o prof. Dr. Sergio De Zen, da Esalq/USP chama a atenção para o fato de que os índices registrados pelos animais mostraram que a tecnologia, quando bem aplicada, gera resultados muito positivos e que os pecuaristas já estão bastante atentos para este conceito. “Uma das questões mais importantes dos resultados é que os índices mostram que o incremento de produção compensa os investimentos dos produtores. Especialmente em um ano difícil como este, as tecnologias contribuem para elevar os resultados e a rentabilidade da atividade”, comenta De Zen.
 
O Retorno sobre Investimento (ROI) do confinamento, englobando todos os fatores que compõem este sistema de produção, foi um dos fatores do Tour analisados pela equipe do Cepea que teve um índice altamente positivo. Considerando os custos operacionais e os de oportunidade (que são os investimentos de baixo risco disponíveis no mercado), o Cepea constatou ROI positivo em todas as etapas, comprovando que o investimento em tecnologia gera um retorno mais expressivo aos produtores, mesmo diante de um ano bastante desafiador para os produtores, marcado pela alta de custos de alguns insumos, como, exemplo, o boi magro, cujo preço manteve os patamares elevados dos últimos anos, e o elevado preço do milho, um importante insumo da nutrição animal. Neste contexto, vale citar que o boi magro representa, em média, 70% da composição dos custos operacionais do confinamento e, a nutrição, em torno de 25% – os 5% restantes consideram outros custos.
 
Como outros fatores positivos do ponto de vista econômico, Baruselli também cita a redução da taxa de refugo para zero (geralmente, este índice gira em torno de 0,4% a 4%) e a redução do ciclo do confinamento que, em alguns casos, caiu de 100 para 80 dias. As tecnologias empregadas nos produtos da linha nova permitem um aumento de consumo pelos animais. Baruselli conta que, geralmente, os animais consomem o equivalente a 2,4% do seu peso vivo ao dia e, com os novos produtos, registrou-se que o consumo aumentou entre 2,6% e 2,8%, em média, acelerando o processo de engorda dos bovinos confinados.
 
Ainda sobre os animais avaliados no Tour, Baruselli destaca também que o óleo essencial CRINA® substitui totalmente os antibióticos na ração, atuando tanto para proteger o gado como para melhorar o desempenho. “Além de substituírem os antibióticos, os aditivos dos produtos geram resultados superiores tanto em termos de performance zootécnica como em qualidade da carne, a exemplo da presença da Vitamina E, por exemplo, que mantém a carne vermelha por mais tempo e, desta forma, aumenta o tempo de prateleira no supermercado, gerando ganhos para toda a cadeia, do campo ao prato dos consumidores”, conta o especialista da DSM, destacando também a presença da enzima RumiStar™, que permite melhor absorção do amido do milho, melhorando a eficiência alimentar à medida que reduz o descarte dos nutrientes nas fezes dos bovinos.
 
Novas tecnologias que melhoram a rentabilidade da pecuária
 
Mais de 500 confinamentos no Brasil utilizam as novas tecnologias da DSM. De forma geral, contando todo o portfólio da companhia para este sistema de produção, 1/3 dos bovinos confinados no Brasil são tratados com produtos da marca Tortuga, informa Baruselli.
 
Sobre o crescimento do uso das tecnologias da DSM pelos confinadores, Baruselli ressalta que os benefícios gerados aos animais são excelentes ferramentas para elevar a rentabilidade da atividade. Neste sentido, ele lembra que os produtores que optaram pelo confinamento tiveram resultados positivos, impulsionados pelas novas tecnologias, mesmo diante da alta no custo do milho (um dos principais insumos das rações) e das chuvas abundantes do primeiro semestre do ano (que deixaram os pastos verdes por mais tempo).
 
Tecnologias exclusivas da DSM
 
Os produtos da linha Fosbovi® Confinamento com CRINA® e RumiStar™ foram desenvolvidos pelo departamento de Inovação & Ciência Aplicada da DSM a partir de novos conceitos em nutrição mineral e vitamínica. Trata-se de uma associação equilibrada de macro e microminerais, incluindo o cromo orgânico, vitaminas lipossolúveis e hidrossolúveis (biotina) e aditivos naturais, como leveduras vivas (CRINA® e RumiStar™).


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink