Tecnologias de gestão podem alavancar a cana
CI
Imagem: Marcel Oliveira
CULTURAS

Tecnologias de gestão podem alavancar a cana

Brasil colheu a maior área de cana das últimas cinco safras
Por: -Eliza Maliszewski

O último balanço da União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica), mostra que o país já tem 90% da área de cana-de-açúcar colhida nesta safra. São 7,099 milhões de hectares no Centro-Sul, a maior das últimas cinco safras. Em relação ao ciclo passado, o aumento é de 1,2%. No acumulado da safra 2020/21, a produtividade agrícola na região ainda avança 2,4% ante o ano anterior, a 79,6 toneladas por hectare.

O relatório também aponta que o rendimento médio da lavoura em outubro de 2020 apresentou retração de 5,3% na comparação com 2019, atingindo 63,4 toneladas por hectare. É a primeira retração na produtividade desde maio deste ano. No entanto, com a alta no ano, o rendimento por hectare deve se manter alto.

Tecnologia aliada

Para manter a produtividade desde o pré-plantio até a pós-colheita e ampliarem os ganhos na safra, empresas investem em soluções para o setor. Um dos exemplos são as ferramentas que auxiliam na gestão agroindustrial. A agtech brasileira GAtec, com sede em Piracicaba (SP) trabalha com o setor sucroenergético desde a lavoura até a distribuição, análise e comercialização dos produtos.

Com uso da chamada inteligência no agronegócio, a agtech oferece consultoria, treinamento, desenvolvimento e integração de sistemas de gestão. O objetivo é melhorar as práticas envolvidas no processo. “Todas as dificuldades na hora de gerir são sempre tratadas de maneira prioritária. Para que assim os nossos clientes tenham em suas mãos uma ferramenta capaz, robusta e dinâmica de modo a prever e/ou mitigar essas dificuldades”, destaca Leandro Sarto, diretor comercial.

O setor, mesmo sendo um dos mais antigos e maduros do Brasil, segundo Sarto, deve observar três fatores que podem potencializar a atividade: tempo, pessoas e tecnologia. O segmento canavieiro evoluiu e teve que se adaptar a políticas sustentáveis como o Renovabio, por exemplo. Para isso precisa de pessoas e experiência pra atingir objetivos. E, por fim, a tecnologia para assegurar o acompanhamento das tendências. “Temos atuado ao longo dos últimos anos dando todo aparato necessário para o setor e compreendendo toda a sua complexidade, necessidade de rapidez, sempre prezando pela máxima qualidade, com total cuidado e atenção”, destaca Sarto.

As tecnologias

A agtech já tem quase duas décadas de atuação e nasceu no berço da evolução no setor sucroenergético, na cooperativa Copersucar. Entre as soluções destacam-se três. Um software web que pode usar inclusive a nuvem pra atender em uma única base produtores de culturas semi-perenes como a cana, até as perenes, anuais e pecuária. O SimpleFarm reúne as informações da fazenda em um só lugar.

Outra ferramenta disponibilizada é o Commerce. Este é um sistema para gestão de compra e venda de commodities agrícolas para mercado interno e exportações, e ajuda o produtor a controlar todos os processos envolvidos na comercialização.

Ainda há a plataforma Mapfy GeoSystem. Trata-se de uma aplicação web de gestão de mapas rurais e é uma tecnologia exclusiva. Com a ferramenta o produtor consegue analisar e visualizar de forma rápida e integrada em mapas através de consultas dinâmicas, para tomar decisões mais precisas, como também gerar atividades de análise de áreas.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink