Tempo atrasa colheita e traz ferrugem
CI
Agronegócio

Tempo atrasa colheita e traz ferrugem

Orientação é fazer acompanhamento constante das lavouras
Por:
O começo da colheita de soja nas regiões sul e sudeste de Mato Grosso vem sendo marcado pelo tempo chuvoso e úmido, que tem prejudicado o trabalho das máquinas colhedoras e contribuído para a proliferação do fungo causador da ferrugem asiática. Algumas propriedades de Primavera do Leste, Campo Verde, Santo Antônio do Leste e algumas outras áreas isoladas na região colhem agora variedades de soja superprecoce e precoce.


O gerente técnico da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Nery Ribas, observa que, na verdade, está chovendo muito e, de forma persistente, em todo o estado de Mato Grosso. Nessa realidade, os produtores que iniciaram a colheita o fazem quando a condição climática deixa, quando o tempo abre. Ele analisa que ainda não há perdas por causa das chuvas, apenas o retardamento no processo da colheita.

Com o tempo fechado, úmido e chuvoso, Nery Ribas alerta novamente para os cuidados com a ferrugem asiática, cujos casos vêm aumentando muito em Mato Grosso nas duas últimas semanas. A orientação, segundo o gerente técnico da Aprosoja, é fazer o acompanhamento constante das lavouras, com coletas de amostras para análises. “A palavra-chave é monitoramento”, externou, lembrando da ameaça da proliferação da doença com o começo do processo de tiragem dos grãos das lavouras.


O processo de colheita se intensifica nas regiões sul e sudeste de Mato Grosso nos meses de fevereiro e março. Por outro lado, Nery Ribas observa que muitas cidades do estado sofreram com as irregularidades climáticas desde o começo desta safra. Produtores de cidades como Itiquira e Pedra Preta, por exemplo, enfrentaram falta de chuvas até o fim do ano. Ele pontua que nessas localidades existem relatos de produtores que foram obrigados a fazer o replantio. No entanto, ainda não é possível quantificar perdas.

REGIÕES – Informações do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontam que Mato Grosso colheu nesta safra apenas 2,7% da área plantada com soja. A região mais adiantada no processo é a Oeste, de cidades como Sapezal e Campo Novo, com 7,1% da área colhida. A região mais atrasada na colheita nesta safra é a Noroeste, de cidades como Brasnorte, com 0,5% colhido apenas.


Se comparado com o mesmo período de 2011, o estado de Mato Grosso está adiantado no processo de retirada dos grãos de soja das lavouras. Em 20 de janeiro de 2011, o estado havia colhido apenas 1,3% da área plantada com a oleaginosa.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.