Temporal causa prejuízos a fumicultores no Sul de Santa Catarina

Agronegócio

Temporal causa prejuízos a fumicultores no Sul de Santa Catarina

Nas localidades de Amola Faca e Molha Coco em Timbé do Sul, muitos agricultores perderam até 80% da plantação
Por:
2096 acessos
Nem bem a colheita da safra 2010/2011 iniciou e os temporais já ameaçam a economia de agricultores catarinenses.

O temporal ocorrido no final da tarde do ultimo dia 9, trouxe granizo e vento forte, destruindo plantações inteiras de tabaco em vários municípios no Extremo Sul de Santa Catarina.

Nas localidades de Amola Faca e Molha Coco em Timbé do Sul, muitos agricultores perderam até 80% da plantação de fumo. Segundo moradores o granizo não durou mais do que cinco minutos, mas foi o suficiente para causar grandes prejuízos as lavouras de tabaco.

O produtor Jairto Rocha Teixeira da localidade de Molha Coco, havia feito apenas uma colheita, e o que sobrou da lavoura depois do temporal não passa de duas. Ele plantou cerca de 70.000 pés de fumo e já calcula os prejuízos. A lavoura de tabaco do agricultor Volnei Luiz, que recentemente adquiriu o terreno com financiamento pelo Banco da Terra, também foi drasticamente afetada, o pouco que restou dos 90.000 pés que planta não pagam as despesas.

Mutirão para colher o que sobrou

Durante a visita que nossa reportagem fez a estas localidades o que se viu foi um verdadeiro mutirão para tentar recolher o que sobrou. Vizinhos, parentes e amigos recolhem as folhas de tabaco que foram quebras e jogadas ao chão na tentativa de tentar amenizar os prejuízos. Por causa do sol forte o que for recolhido neste dia 10, poderá ser aproveitado e o restante será perdido e deverá ser deixado no meio da lavoura mesmo.

Apoio

Segundo Antoninho Rovaris, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Timbé do Sul, a instituição ja esta trabalhando junto aos associados atingidos no sentido de orientá-los na busca de soluções que venham a minimizar os prejuízos.

Prejuízos

Muitos das plantações atingidas pelo temporal não estavam seguradas. O seguro é feito junto a Afubra – Associação dos Fumicultores do Brasil. Segundo Guido Ripplinger da Afubra, que contratou o seguro poderá ser ressarcido das perdas. A entidade já esta fazendo os levantamentos.

As informações são de Domicio Somariva Filho - Revista Folha Rural.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink