Terceira safra terá menor área plantada nas principais regiões

Agronegócio

Terceira safra terá menor área plantada nas principais regiões

Por:
287 acessos

Aparentemente, o mercado do feijão entrou novamente em um quadro de estabilidade de preços, após as várias tentativas de alta nas últimas semanas. Com a queda de R$ 10/saca na semana passada, o atacado paulista vai recebendo menos feijão nesta semana, mas ainda sob um volume consideravelmente superior ao interesse de compra. Ontem e hoje, as ofertas de carioca na Bolsinha/SP somaram 44.500 sacas, volume 18% inferior ao mesmo período da semana passada.

Por outro lado, as vendas no período somaram irrisórias 8.100 sacas (-17%). A relação entre demanda e oferta foi reportada em apenas 10% na segunda-feira (06) e em 25% nesta terça-feira (07). Pelo menos por enquanto, a demanda média diária na Bolsinha/SP neste mês de julho vai alcançando apenas 4.250 sacas, contra 5.070 sacas em junho e 5.630 sacas em maio. As sobras de feijão permanecem, portanto, muito elevadas no atacado paulista, com o carioca extra mantendo-se cotado entre R$ 95 a R$ 100/saca.

Para o melhor padrão, há tranqüila margem para níveis entre R$ 80 a R$ 85/saca nas regiões produtoras de Goiás. Ainda que as sobras sejam elevadas no mercado paulista, de agora em diante a disponibilidade do padrão extra será consideravelmente menor, o que favorece os preços do grão de melhor qualidade. Um intervalo entre R$ 65 a R$ 80/saca continua sendo o mais comum em Goiás. Nas regiões produtoras do Paraná o carioca mantém-se em leve alta, atualmente cotado na média de R$ 76/saca, mas com máximas entre R$ 90 a R$ 100/saca já sendo reportadas mais comumente ao grão de qualidade superior.

A Conab divulgou hoje uma nova reavaliação de safra. A segunda safra de feijão é estimada em 1,4 milhões de toneladas, praticamente no mesmo volume do ano passado. Em Goiás a colheita cresceu cerca de 4%. Já a terceira safra poderá ter uma área plantada menor em 20% em Minas Gerais, 26% no Distrito Federal, 15% em Goiás, 21% no Mato Grosso e se manter estável em São Paulo. Isto reforça as expectativas de preços um pouco melhores para o feijão neste segundo semestre.

Veja tabela em: http://www.faeg.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2888&Itemid=112  

A análise de mercado de algodão é realizada diariamente pela Gerência de Estudos Técnicos e Econômicos da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (FAEG).

Gerente de Estudos Técnicos e Econômicos: Edson Alves Novaes
Responsável técnico: Adriano Vendeth


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink