Termina concordata da DaGranja/Uberaba


Agronegócio

Termina concordata da DaGranja/Uberaba

Por: -Admin
5 acessos

A empresa DaGranja/Uberaba, abatedoura de frango com sede no Paraná, está saindo da concordata preventiva requerida em julho de 2001. Em Uberaba oito credores estão sendo chamados pelo gerente Cláudio Faria para receber os 60% dos seus respectivos créditos, sendo que os 40% restantes já haviam sido pagos no primeiro ano da concordata, perfazendo os 100% inicialmente devidos. Ao requerer a concordata, a empresa tinha uma dívida de R$ 84 milhões, agora restrita a pouco mais de R$ 2 milhões.

Atualmente a empresa vem abatendo 135 mil frangos por dia, o que significa 42 caminhões de frango descarregando diariamente na indústria em funcionamento no DI-1. É o maior abatedouro de frangos de Minas Gerais. Quando adquiriu as instalações da Ibirapuera, em 1992, o abate diário era de 45.000 frangos. A concordata veio com a crise no setor, quando o quilo de frango caiu para R$0,89.

Atualmente, a empresa vende sua produção para todo o país, especialmente para o Nordeste, além de exportar para países do Mercado Comum Europeu, Oriente Médio, Japão, Singapura, África do Sul e Hong-Kong. Só no ano passado foram 15.000 toneladas, enquanto neste ano a exportação deve ser de 22.000 toneladas. Para 2004 a meta é atingir 30.000 toneladas, como explicou o gerente Cláudio Faria.

No momento, a empresa está implantando nova política para aquisição de milho, eliminando intermediários ou atravessadores. A ordem é comprar diretamente do produtor, como informou o técnico Eduardo Nogueira Borges, contratado pela DaGranja para viabilizar a nova política. Com isso a empresa quer reduzir o custo de produção, bem como melhorar o preço pago diretamente ao agricultor.

A firma, que inclusive tem sua fábrica de ração, consome anualmente 1 milhão e 500 mil sacas de milho anualmente. No ano passado, a intermediação imposta por atravessadores, fez com que todo o milho consumido fosse adquirido em Goiás, Estado com preços bem mais competitivos. Este fato a DaGranja quer evitar que volte a ocorrer a partir de agora.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink