Terminal pode gerar caos na região de Rondonópolis
CI
Agronegócio

Terminal pode gerar caos na região de Rondonópolis

Por:
Mesmo antes de começar as atividades o Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR) com capacidade de carregar 120 vagões em seis horas já causa preocupações. A previsão de inauguração é para maio. O vice-prefeito de Rondonópolis a 218 quilômetros de Cuiabá, Rogério Sales acredita que o município ainda não está preparado para as mudanças que acontecerão com a inauguração do complexo. "Infelizmente, em Rondonópolis, assim como em todo o Mato Grosso, o progresso acontece e depois é que vamos correr atrás do crescimento provocado por ele. Essa ineficiência logística impedirá que todo o benefício do terminal seja transferido automaticamente para o produtor". 


Apesar do terminal estar sendo considerado um dos maiores do país, os produtores dizem que não terão redução no preço dos fretes tão cedo. O vice-presidente da Associação de Produtores de Soja e Milho (Aprosoja-MT), Ricardo Tomczyk explica que não há um marco regulatório dos transportes ferroviários, ou seja, na prática, os preços rodoviários competem com os ferroviários, que deveriam ser 25% mais baratos. "Precisamos ter uma regulamentação para que os transtornos possam ser compensados".

Na opinião de Ricardo o transtorno é previsto em função do acúmulo de caminhões no entorno do terminal, que é muito próximo da cidade. "Esse caos logístico deve-se à falta de estrutura, de duplicação do trecho da BR-163 de Rondonópolis ao terminal e pátio insuficiente para estacionar toda a frota de caminhões que se deve receber".

Com capacidade para escoar 15 milhões de toneladas, o terminal tem potencial para desafogar a produção de soja das regiões Norte e Sul de Mato Grosso. O investimento é de aproximadamente R$ 700 milhões. A obra ocupará 385 hectares.

Também está prevista a construção de um shopping center para atender tanto caminhoneiros como a população da região de Rondonópolis. Neste local haverá lojas comerciais e de serviços, praça de alimentação, setor de serviços públicos e um hotel com 100 quartos. O pátio tem capacidade para estacionamento de 600 caminhões bi-trem e o posto para abastecimento pode receber até 1.500 veículos por dia. Com toda essa estrutura, o CIR irá gerar três mil vagas de trabalho.

Para o delegado coordenador da Aprosoja em Rondonópolis, Osvaldo Pasqualotto, um dos transtornos deve ser a travessia. "É preciso construir rodoanéis para ajudar a desafogar o trânsito caso contrário, teremos filas até Jaciara".

O sojicultor Maurício Soares Lima que mora em Jaciara, a 148 quilômetros de Cuiabá também está apreensivo. Ele acredita que no auge do escoamento da soja até a população de Jaciara será prejudicada. "Além do comprometimento do trânsito com as filas de caminhões também temos preocupação outros problemas que esse desenvolvimento pode trazer como a prostituição e a mendicância".


Reunião - Nesta quarta (24) o Movimento Pró-Logística, representado pelo presidente da Aprosoja e do Movimento, Carlos Fávaro, se reuniu com o vice-prefeito de Rondonópolis, Rogério Salles. A reunião serviu para alinhar alguns pontos para que haja a cobrança ao governo federal da duplicação do trecho de 25 quilômetros da BR-163, que liga Rondonópolis ao terminal. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.