Agronegócio

Termo de cooperação vai facilitar acesso à irrigação

Um convênio assinado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul com a Afubra e SindiTabaco incentivará a irrigação nas pequenas propriedades dos produtores de tabaco no Estado
Por:
769 acessos
Um convênio assinado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul com a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e com o Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) incentivará a irrigação nas pequenas propriedades dos produtores de tabaco no estado. Esta é a certeza do secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, que assinou acordo de cooperação, na noite da última terça-feira, 8 de outubro, durante a noite de confraternização com a imprensa, no estande-estufa do SindiTabaco, no Parque da Oktoberfest, em Santa Cruz do Sul.

 
O termo de cooperação prevê a conjugação de esforços para a divulgação e implementação do Programa Mais Água, Mais Renda, da Secretaria da Agricultura, junto aos associados da Afubra e aos produtores integrados que produzem para a indústria do tabaco.
 
Para Mainardi, a integração das duas entidades, com o envolvimento dos respectivos setores de assistência técnica, ampliará o uso de sistemas de irrigação pelos produtores, contribuindo para o fortalecimento das ações que buscam a diversificação das atividades. “Nosso objetivo é fomentar mecanismos que tragam mais renda ao produtor”, explicou o secretário, acrescentando que a irrigação, além de garantir a estabilidade da produção, possibilita o aumento da produtividade e a elevação dos padrões de qualidade.

 
Mainardi explicou, ainda, que com o armazenamento da água e investimentos na aquisição de equipamentos, com subvenção do governo do Estado que vai de 12% a 30%, dependendo do tamanho da propriedade, o produtor cria as condições necessárias para ter uma segunda safra anual. “Na resteva do tabaco, aproveitando o preparo do solo feito para aquela cultura, poderão ser plantados outros produtos como milho e feijão, por exemplo, que, uma vez irrigados, terão uma maior produtividade”, destacou. Com isso, o produtor terá mais renda, finalizou Mainardi.
 
O presidente da Afubra, Benício Albano Werner, falou da alta rentabilidade do tabaco. “Numa área plantada de 149 mil hectares, obtivemos uma receita de R$ 2,6 bilhões, enquanto se fossemos produzir milho, este número se reduziria a R$ 263 milhões”, informou o presidente. Para ele, a irrigação vai permitir que os produtores, além de diversificar a renda, possam ingressar na “agricultura de precisão”.

 
Por sua vez, o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, garantiu que tudo aquilo que representar mais renda para o produtor integrado terá amplo apoio da indústria. “Esta parceria é uma forma de melhorar a receita dos produtores, no tabaco e em outras culturas”, disse o executivo.
 
O vice-presidente de Produção e Qualidade do SindiTabaco, Claudimir Rodrigues, antecipou que cerca de 500 técnicos da indústria estarão integrados à ação que começará, de forma efetiva, com um grupo de 150 produtores nas diversas regiões em que o tabaco é cultivado, os quais servirão de validadores e multiplicadores da tecnologia.

 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink