Agronegócio

Tocantins integra a nova fronteira de crescimento da Apicultura no Brasil

Segundo dados da Unamel, o Brasil é o nono maior produtor de mel, ficando atrás de países como China, Estados Unidos e Argentina
Por: - Valmir Araújo
1171 acessos
Nos últimos dez anos, as regiões Norte e Nordeste, consideradas as novas fronteiras apícolas do Brasil, foram as que mais cresceram em produção de mel. A afirmação foi feita pelo presidente da União Nordestina dos Apicultores e Meliponicultores (Unamel), José Xavier, na tarde desta quarta-feira, dia 02, durante a Oficina de Viabilidade Econômica em Apicultura. O evento acontece no auditório da Universidade Federal do Tocantins (UFT), de Gurupi, a 230 km de Palmas.

A oficina de Viabilidade Econômica em Apicultura é parte da programação do 1º Ciclo de Palestras Agropecuárias, realizado pelo Governo do Tocantins, através da Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro). O encontro, que contou com a participação de apicultores, técnicos, estudantes e demais produtores da Região Sul do Estado, segue pelos dias 03 e 04 no mesmo local.

Segundo dados da Unamel, o Brasil é o nono maior produtor de mel, ficando atrás de países como China, Estados Unidos e Argentina. “Nós temos potencial de crescer muito mais, porque o nosso consumo per capito de mel é muito pequeno, e há uma grande demanda a nível regional, nacional e internacional por esse produto”, avaliou José Xavier, reafirmando a importância do Tocantins como fronteira para crescimento da apicultura no Brasil.

A capacitação desta tarde foi ministrada pelo instrutor técnico da OCB-Organização das Cooperativas Brasileiras, Rogério Dias, que falou sobre o planejamento estratégico para a gestão de empreendimentos apícolas. Segundo ele, o associativismo e o cooperativismo são fundamentais para o desenvolvimento do setor na região.

Para o apicultor Afábio Lopes, do município de Araguaçu, a capacitação é importante para estimular a criação de uma cooperativa de mel na região Sul do Estado. “Nós temos associação em Araguaçu, que está à frente da nossa Casa do Mel, mas precisamos dessa cooperativa, para cuidar do Entreposto do Mel de Figueirópolis e assim processar a nossa produção”, afirmou Lopes, que produz cerca de 800 quilos de mel por ano.

Sul do Tocantins

O intuito da Oficina de Viabilidade Econômica em Apicultura é discutir o modelo de gestão do entreposto e das casas de mel recém-inauguradas na região Sul do Estado. A região conta com um entreposto de mel em Figueirópolis e com casas de mel nos municípios de Sandolândia, Jaú do Tocantins, Araguaçú, Brejinho de Nazaré, Aliança do Tocantins, Crixás e Formoso do Araguaia.

As oficinas, cursos e demais capacitações que vem sendo oferecidos aos apicultores do Estado, fazem parte de um programa de fortalecimento e desenvolvimento do setor apícola do Tocantins. O programa é desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Seagro, em parceria com a Fundação Banco do Brasil, a Federação Tocantinense de Apicultura (Fetoapi), o Sebrae, a OCB e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins).
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink