Tomate é obra da engenhosidade humana
CI
Imagem: Pixabay
GENÉTICA

Tomate é obra da engenhosidade humana

No início do século XVI, o tomate já era exibido em diversos jardins botânicos europeus
Por: -Leonardo Gottems

A grande parte das pessoas cita o tomate como um exemplo de alimento natural, mas a verdade não é bem assim, já que o tomate como conhecemos hoje é uma obra da engenhosidade humana. “É verdade que é uma joia culinária, mas não devemos isso à natureza, mas a uma legião trabalhadora de fazendeiros e criadores que a criaram ao longo de uma longa e complexa história, que vai desde as primeiras culturas agrícolas americanas aos criadores atuais . É o trabalho deles que acumulou essa riqueza diversa e viva. Não há tomates grandes e suculentos na natureza, nem trigo para fazer um pão fofo ou milho saboroso”, dizem José Blanca e Joaquín Cañizares, professores de genética na Universidade Politécnica de Valência, em um artigo pulicado no El País. 

“A genética nos permitiu saber quais modificações genéticas os primeiros agricultores selecionaram. Uma das primeiras foi a mutação "fas"; esses mutantes produzem frutos maiores e um tanto deformados. Os genes relacionados à forma e ao tamanho dos frutos foram alguns dos mais afetados pela domesticação. Nosso conhecimento atual desses genes modificados é tal que podemos recriar a domesticação, mas em vez de precisarmos dos milhares de anos que foram originalmente exigidos, as modernas técnicas de engenharia genética nos permitem passar em poucos anos e de forma controlada de uma modesta planta selvagem. a uma variedade quase comercial, o equivalente a ir de um lobo a um chihuahua”, escrevem. 

No início do século XVI, o tomate já era exibido em diversos jardins botânicos europeus, mas não devemos pensar que a sua adoção foi imediata. “Naquela época, os vegetais tinham a reputação de não serem saudáveis e os tomates também recebiam esse sanbenito. Seu cultivo foi relegado às classes mais baixas da Espanha e Itália. As histórias dos pobres não costumam ser coletadas nas crônicas oficiais com tanta diligência quanto as dos ricos, mas sabemos que o tomate era consumido porque, entre outras coisas, os autores teatrais da Idade de Ouro presumiam que seu público o conhecia”, indicam. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.