Tomates transgênicos produzem medicamentos contra Parkinson
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
ESTUDOS

Tomates transgênicos produzem medicamentos contra Parkinson

O desenvolvimento do tomate geneticamente modificado (OGM) tem implicações para os países em desenvolvimento
Por: -Leonardo Gottems

Cientistas do John Innes Centre (Reino Unido) desenvolveram um tomate enriquecido com a droga L-DOPA para o mal de Parkinson, um avanço que pode se tornar uma fonte nova e acessível de uma importante droga global. Este tomate foi obtido pela introdução de um gene responsável pela síntese da L-DOPA na beterraba, onde atua na produção dos pigmentos betaína. 

O desenvolvimento do tomate geneticamente modificado (OGM) tem implicações para os países em desenvolvimento onde o acesso a medicamentos é restrito. Este novo uso de tomateiros como fonte natural de levodopa (L-DOPA) também oferece benefícios para pessoas que sofrem efeitos adversos, incluindo náuseas e complicações comportamentais, de L-DOPA sintetizado quimicamente. 

O tomate foi escolhido como uma cultura amplamente cultivada que pode ser usada para aumentar a produção e, potencialmente, oferecer uma fonte natural padronizada e controlada de L-DOPA. A equipe liderada pelo John Innes Center modificou o fruto do tomate ao introduzir um gene responsável pela síntese da L-DOPA na beterraba onde atua na produção dos pigmentos betalaínas. 

L-DOPA é feito de tirosina, um aminoácido encontrado em muitos alimentos. A equipe de pesquisa inseriu um gene que codifica uma tirosinase, uma enzima que usa tirosina para construir moléculas como L-DOPA. Isso aumentou o nível de L-DOPA especificamente na parte da fruta da planta e levou a rendimentos mais altos do que aqueles associados à produção de L-DOPA em toda a planta. 

Os níveis atingidos no fruto do tomate - 150 mg de L-DOPA por kg de tomate - foram comparáveis aos observados em outras plantas que acumulam L-DOPA, mas sem alguns dos inconvenientes conhecidos que dificultaram a produção metabólica do medicamento nas plantas acima. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink