Treinamentos focam na sustentabilidade dos agroquímicos

PROTEÇÃO

Treinamentos focam na sustentabilidade dos agroquímicos

“A proposta central é preparar profissionais multiplicadores de informações"
Por: -Leonardo Gottems
158 acessos

A atual demanda ambiental e também produtiva está exigindo que cada vez mais os produtores rurais e as empresas de tecnologia agrícola se dediquem para garantir uma produção que não agrida o meio ambiente. Nesse cenário, a Unidade de Referência em Tecnologia e Segurança na Aplicação de Agroquímicos (UR) formará uma turma de consultores com ênfase na Norma Regulamentadora 31.8 (N.R. 31.8) para realizar treinamentos relacionados a sustentabilidade na aplicação de agroquímicos. 

Os dois programas de treinamento presencial irão abordar temas como Tecnologia de Aplicação e a Norma Regulamentadora 31.8, buscando tornar cada vez mais seguras e sustentáveis as aplicações de agroquímicos nas lavouras. De acordo com o pesquisador científico Hamilton Ramos, do Centro de Engenharia e Automação do Instituto Agronômico (CEA-IAC), os cursos são direcionados a engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas de empresas do agronegócio e da agroindústria. 

“A proposta central é preparar profissionais multiplicadores de informações, líderes que venham atuar como orientadores e estendam ao ambiente rural, nas diferentes regiões do Brasil, o domínio de práticas essenciais nas aplicações de agroquímicos. s programas da UR focam também no melhor aproveitamento dos agroquímicos nas lavouras, de maneira que o agricultor produza mais e melhor e torne sua atividade mais sustentável a cada safra”, comenta. 

Isso porque dados do CEA-IAC indicam que o mau uso de agroquímicos tem provocado perdas anuais de aproximadamente R$ 2 bilhões aos agricultores do País. “Resultante de uma parceria entre o CEA-IAC - órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de SP - e o setor privado, a Unidade de Referência tornou-se, em 2017, a primeira entidade de caráter público-privado do Brasil voltada à difusão de conhecimentos sobre uso de agroquímicos ou defensivos agrícolas”, disse a nota da assessoria do projeto.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink