Triângulo Mineiro se destaca na produção de laranja
CI
Agronegócio

Triângulo Mineiro se destaca na produção de laranja

De acordo com dados do IBGE, a colheita estimada dos pomares mineiros vai passar de 583,6 mil toneladas para cerca de 596,9 mil toneladas da fruta
Por:

A produção de laranja, em Minas Gerais, vai aumentar neste ano apesar da redução da área colhida no Estado. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), organizados pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a colheita estimada dos pomares mineiros vai passar de 583,6 mil toneladas para cerca de 596,9 mil toneladas da fruta.

O aumento da produção em Minas é de 2,26%, enquanto a diminuição da área foi de 32,3 mil hectares para 31,5 mil hectares. A redução da área é causada pela substituição de lavouras antigas por plantas novas.

Para o Brasil, está estimada uma queda de produção de 300 mil toneladas, o que deverá resultar em colheita de cerca de 18 milhões de toneladas de laranja, informa a Superintendência de Política e Economia Agrícola da Seapa, com base nos números do IBGE.

“O volume de produção, em Minas, aumentou porque houve ganhos de produtividade com a utilização de tecnologia”, diz o superintendente João Ricardo Albanez. “Os produtores aumentaram os investimentos no cultivo porque a fruta teve um bom mercado na safra anterior. A oscilação da produção de uma safra para outra é um fato comum e quase sempre depende do nível de estímulo do produtor, que investe mais no cultivo caso tenha alcançado boa receita no período anterior e o mercado sinalize positivamente para a safra seguinte”.

O produtor Mager Luiz (conhecido como Branco), de Frutal, no Triângulo Mineiro, confirma que o aumento da produção deste ano está sustentado nos investimentos em insumos e em outras práticas modernas de cultivo. “Os bons resultados da safra passada serviram de incentivo, mas o produtor de laranja investe em tecnologia mesmo no caso de queda de receita, porque a boa manutenção das plantas é indispensável para evitar que os prejuízos se agravem”.

Segundo Mager, a proteção das plantas é intensa mesmo antes de alcançarem sete anos, quando, em média, iniciam a fase plena de produção. Depois disso continuam investindo para manter a cultura rentável e evitar perda do dinheiro aplicado. “Além disso, os produtores de laranja sempre investem na tecnologia, que muda rapidamente, porque contam com a possibilidade de um mercado melhor no ano seguinte”, assinala.

Na Fazenda Brejão, onde Mager tem 30 hectares plantados de laranja, o custo que mais pesa atualmente é o do adubo, que teve um salto de R$ 850,00 para mais de R$ 1,5 mil a tonelada desde o ano passado. “O gasto com adubo é um entrave para o aumento de renda com a fruta”, ele explica. Mager diz que, apesar dos custos com tratos culturais, sobretudo para aquisição dos produtos que têm componentes químicos, os agricultores podem preservar parte de seus ganhos neste ano, porque há sinais de que a safra vai prosseguir até dezembro. Ele informa que o período normal de colheita vai de maio até o final de setembro. “Vamos ter ainda a safra temporona de fevereiro de 2009 e será possível manter muita laranja no pé para ajustar a oferta e a procura e, assim, garantir a obtenção de mais renda”, finaliza o produtor.

Grupo dos cinco

Minas Gerais é o quarto produtor de laranja do Brasil. Em primeiro lugar está São Paulo, que responde por 14,2 milhões de toneladas ou quase 80% do total nacional. Depois vem a Bahia, com 948,8 mil toneladas, e Sergipe, com 780,5 mil toneladas.

No Triângulo Mineiro encontra-se o grupo dos cinco municípios que mais produzem no Estado, respondendo por quase 68% de toda a oferta mineira de laranja. Destaca-se Frutal, com 130 mil toneladas anuais e produtividade da ordem de 20 mil quilos por hectares. Os demais grandes produtores são os municípios de Comendador Gomes, Prata, Uberlândia e Uberaba. A soma da colheita de laranja dos cinco alcança 397,7 mil toneladas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.