Trigos negros assustam na Argentina

GEADAS

Trigos negros assustam na Argentina

Morte de perfilhos, perda de área foliar e interrupção do crescimento
Por: -Leonardo Gottems
5170 acessos

Relatórios recebidos da Argentina mostram preocupações sobre a safra de trigo do país vizinho: “Os trigos estão negros e isto assusta”, dizem os técnicos. De acordo com o informe semanal da Bolsa de Comércio de Rosário, morte de perfilhos, perda de área foliar e interrupção do crescimento foi o saldo que deixaram as intensas geadas da semana passada. 

Nas áreas mais afetadas de Córdoba, deverá seguir-se a evolução de seus efeitos a próxima semana para avaliar o impacto. No resto da região não houve afecção significativa que ponha em risco o potencial de rendimento: os trigos estão com muito boas condições e boas reservas de água. As plantas têm tudo para recuperar-se. Mas, tudo se atrasará mais, pela drástica desaceleração da taxa de crescimento, explica a Consultoria Trigo & Farinhas.

“O trigo terá que reparar e repor seu aparato foliar, perdendo a vantagem sobre as doenças. Os agricultores que desejarem o fechamento das ranhuras para relegar a aplicação de herbicidas, deverão começar a preparar os aplicadores. Os trigos gelados passaram mais tempo do que o previsto vulneráveis às doenças”, afirma a T&F.

Ainda que não tenha havido um grande avanço da colheita nesta semana devido às precipitações da semana anterior, outras áreas ao norte de Buenos Aires foram menos alcançadas pelas chuvas. A condição do trigo continua destacando-se com mais de 80% entre bom/excelente. Cerca de 60% das lavouras se encontra em pleno perfilhamento e 25% entrando nesta etapa. O restante desenvolve folhas e as mais atrasadas recém estão emergindo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink