Triturador híbrido melhora produção de abacaxi em Floresta do Araguaia

Agronegócio

Triturador híbrido melhora produção de abacaxi em Floresta do Araguaia

A máquina denominada trincha ou triturador híbrido será utilizado para a fragmentação de resto cultural (soca) do abacaxizeiro
Por:
3661 acessos
Os trabalhadores rurais que cultivam abacaxi no município de Floresta do Araguaia contam agora apoio à produção. A Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) repassou aos produtores um equipamento que irá auxiliar na preparação da área destinada à plantação do fruto. É uma máquina denominada trincha ou triturador híbrido que será utilizado para a fragmentação de resto cultural (soca) do abacaxizeiro.

A trincha entregue ao município será de uso coletivo coordenado pelas entidades que congregam os trabalhadores de Floresta do Araguaia onde a Sagri vem desenvolvendo o programa de Produção Integrada de Abacaxi desde 2008.

O município de Floresta do Araguaia, localizado do na região sudeste paraense, é o principal produtor nacional de abacaxi com uma produção de 175.500 mil frutos e área colhida de 6 mil hectares, segundo dados do IBGE 2009.

O município possui cerca de 1.200 produtores que plantam o abacaxi porque essa cultura se destaca como uma atividade de grande importância para aquela região. O município de Floresta do Araguaia possui a maior indústria de processamento de suco concentrado de abacaxi do país e a unidade beneficia quatro mil toneladas de frutos/mês. O produto final é exportado principalmente para países da União Européia, Estados Unidos, Israel e para o Mercosul.

A Produção Integrada de Frutas, programa coordenado em nível nacional pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), é um sistema que emprega tecnologias que permitem a aplicação de boas práticas agrícolas e a obtenção de alimentos seguros isentos de resíduos de agrotóxicos. No Pará, o programa é desenvolvido pela Sagri em conjunto com apoio da Embrapa Amazônia Oriental, Agência de Defesa Agropecuária do Pará (ADEPARÁ) e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (EMATER).

Durante o processo produtivo da cultura são realizada ações de controle de monitoramento e rastreabilidade de todas as etapas, desde a produção até o consumidor final. Um dos principais pilares do programa é a utilização de práticas que preservem o meio ambiente. “São práticas culturais que limitam o uso de energia e de insumos e permitem diminuir o custo de produção”, explica o engenheiro agrônomo Geraldo Tavares, da Gerência de Friticultura, da Sagri.

Tavares explica ainda que um dos principais obstáculos na adoção do sistema de produção integrada nas plantações de abacaxi é o costume de queima da soca (restos culturais) do fruto pelos produtores, uma prática que prejudica o meio ambiente. “Considerando que em um hectare de abacaxi são produzidas cerca de 150 toneladas de matéria verde e que a natureza da folha do abacaxi é de decomposição demorada, em geral, o agricultor recorre à queima”, diz o agrônomo.

O equipamento denominado trincha ou triturador híbrido propicia ao agricultor a fragmentação da soca, tornando os resíduos vegetais mais fáceis para a decomposição e incorporação direta da matéria ao solo. Essa técnica já vem sendo desenvolvida como solução alternativa para o problema no estado do Tocantins.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink