Agronegócio

Uberlândia (MG) é líder no ranking da suinocultura

Uberlândia (MG) é o maior produtor nacional de suínos e o sétimo colocado na produção de ovos
Por: -Margareth Castro
6 acessos

Uberlândia (MG) é o maior produtor nacional de suínos e o sétimo colocado na produção de ovos, conforme a Pesquisa Pecuária Municipal 2005 (PPM), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No Brasil, a criação de suínos apresentou em 2005 um efetivo de 34 milhões de animais, representando um aumento de 3% sobre o número registrado em 2004. A cidade manteve a posição de 2004.

No ano de 2005, 13,3% do efetivo total de suínos correspondia a matrizes. Além de Uberlândia, Rio Verde (GO), Seara (SC), Toledo (PR) e Concórdia (SC) são os principais municípios com plantéis de porcas criadeiras. Minas Gerais ocupou a quarta posição no ranking, com mais de 151 mil matrizes, atrás de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. O Estado representa 10% da produção nacional de suínos.

De acordo com o presidente da Associação de Suinocultores de Uberlândia (AST), Hélcio Pereira de Queiroz, na região, que envolve outros municípios do Triângulo Mineiro, existem em torno de 61 mil matrizes. Se somar com a região do Alto Paranaíba, esse número sobe para 85 mil matrizes. Cerca de 103 suinocultores são associados da AST, o que corresponde a aproximadamente 80% dos criadouros da região.

Hélcio Queiroz diz que a maior parte da produção local de carne suína é exportada. Em média, são abatidas pela Sadia 2,7 mil cabeças. De janeiro a outubro deste ano, o Brasil faturou R$ 25,4 bilhões com agroindústria. Só com carnes foram (bovina, aves e suína) cerca de R$ 5,7 bilhões. Segundo o presidente da AST, o crescimento da produção se deve à associação do parque industrial com a tecnologia empregada e a criação do sistema integrado. "A Sadia trouxe uma experiência maior e mais objetiva, mas tudo começou com a instalação da Rezende", justificou.

Cristiane Maria de Castro é suinocultora há oito anos e atua na fase de terminação (engorda) e creche (recria). Ao todo são 22 mil animais, em uma estrutura de oito galpões, sendo três para engorda e cinco para creche. Ela conta que desde o início trabalha com o mesmo número de porcos em função da parceria firmada. "Não temos como ampliar por causa da estrutura e do contrato que temos", disse.

Para a fase de engorda, os leitões chegam à fazenda com 60 a 70 dias e permanecem por até 140 dias. Já na recria, os animais chegam assim que são desmamados e ficam por volta de 45 a 50 dias até irem para outra fazenda, onde tem início outro estágio. Para dar conta de todo o trabalho da propriedade rural, Cristiane de Castro conta com a colaboração de 35 funcionários. "A parceria é rentável porque temos garantia de mercado, independente de existir dificuldades ou não", completou.

Produção de ovos é grande

A grande quantidade de galinhas criadas em Uberlândia contribuiu para que a cidade conquistasse a sétima posição em produção de ovos. Em 2005, a produção nacional foi de 2,8 bilhões de dúzias, sendo que a região Sudeste concentrou 45,2% do total. No ranking dos Estados, Minas Gerais ficou em segundo lugar com 12,5% da produção, atrás apenas de São Paulo, com 27,8%.

O Estado também foi destaque na produção de leite, embora Uberlândia não tenha aparecido no ranking. Entre os municípios mineiros estão Patos de Minas, Patrocínio e Uberaba. Minas Gerais é responsável por 28,1% da produção nacional de leite, seguido de Goiás (10,8%), Paraná (10,3%) e Rio Grande do Sul (10%). Em 2005 foram produzidos 24,6 bilhões de litros de leite, um aumento de 4,7% da produção em relação ao ano de 2004, quando foram produzidos 23,5 bilhões de litros.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink