Umuarama (PR) aprova sete projetos de Hortas Comunitárias

Agronegócio

Umuarama (PR) aprova sete projetos de Hortas Comunitárias

O Programa apoia o trabalho de comunidades que se solidarizam na produção de alimentos para consumo próprio e para venda de excedentes
Por:
58 acessos

A Secretaria do Trabalho, Emprego e Promoção Social divulgou nessa terça-feira (26-06) os 50 projetos aprovados que irão receber conjuntos para montagem de Hortas Comunitárias. A seleção das propostas foi feita por técnicos da Secretaria, e seguiu critérios previstos no Edital do Programa, lançado em abril deste ano. A lista completa das entidades selecionadas de 33 municípios está disponível para acesso e download no site da secretaria: www.setp.pr.gov.br, link “Segurança Alimentar/Hortas Comunitárias”.

Entre os projetos aprovados, estão os elaborados pela Associação de Hortifruticultores de Ivaté, pela Associação de Desenvolvimento Comunitário da Vila Rural 21 de Dezembro do Município de Esperança Nova, o projeto da APMI de Douradina, da Apae de Nova Olímpia, da Sociedade do Menor e do Adolescente de Cruzeiro do Oeste e, em Umuarama, os projetos aprovados foram da Apae e da Associação Regional de Assistência ao Menor.

Cada uma das entidades aprovadas irá receber conjuntos de equipamentos, ferramentas, insumos e conjuntos de irrigação para montar uma Horta Comunitárias, com o objetivo de garantir a segurança alimentar de comunidades de baixa renda, e de estimular ações solidárias dentro de uma comunidade, como explica o secretário do Trabalho, Emprego e Promoção Social, deputado Nelson Garcia.

“O Programa de Hortas Comunitárias tem a finalidade de apoiar o trabalho de comunidades que se solidarizam na produção de alimentos para consumo próprio e para venda de excedentes. Esse apoio é dado através de cessão de uso de equipamentos adquiridos pelo Estado com recurso federal”, detalha o secretário. “A seleção dos projetos priorizou as propostas que previam o atendimento à comunidades quilombolas, indígenas e à população em situação de insegurança alimentar, de acordo com o que havia sido previsto no Edital do Programa”, comenta ainda o secretário Nelson Garcia.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink