Pesquisa

Unidade Mista de Pesquisa no Paraná divulga resultado de projetos

Encontro contou com atividades de discussão e encaminhamento de ações em torno do papel da UMIPTT
Por:
16 acessos

Há um ano e meio funcionando como Unidade Mista de Pesquisa e Transferência de Tecnologia, a (UMIPTT) Sudoeste do Paraná - numa parceria entre Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), a Associação de Estudos, Orientação e Assistência Rural (ASSESOAR) e a  Embrapa - conduziu  26 projetos de pesquisa e transferência, que apresentaram seus resultados em seminário realizado entre os dias 5 e 6 de abril, pelo Comitê de Gestão Estratégica (CGE) da Unidade Mista. Foram organizadas juntamente as reuniões do CGE e de trabalho dos Grupos de Referência Temática (GRT). O encontro contou com atividades de discussão e encaminhamento de ações em torno do papel da UMIPTT e também de visitação institucional aos parceiros pela Chefia e representantes da unidade de pesquisas, em Pelotas,RS, a Embrapa Clima Temperado.

"Buscamos nesta visitação - UTFPR e Estação do Iapar, em Pato Branco - a valorização dos nossos parceiros, além de planejar nossas ações conjuntas para promover o desenvolvimento regional daquele território, ao atender atividades de transferência de tecnologias nas temáticas da Agregação de Valor, Produção Leiteira, Sucessão Familiar e Fruticultura e Horticultura, além de outros assuntos que foram levantados durante o encontro", disse o chefe-geral, Clenio Pillon. Inclusive, ele adiantou que será planejada uma audiência pública da UMIPTT dentro da região sudoeste do Estado do Paraná para que seja fortalecido o papel desta Unidade e os esforços das instituições envolvidas neste arranjo.

Dentro do programa de trabalho, as atividades do 5 de abril ocorreram no auditório da Assesoar, em Francisco Beltrão,PR, - uma ONG parceira que trabalha com agroecologia e agricultura familiar - na qual foram tratadas uma pauta interna entre os membros do CGE como a apresentação de alternativas para captação de recursos e projetos para dar sustentabilidade institucional à UMIPTT, a necessidade de atendimento de projetos em avicultura colonial de postura, unidades de multiplicação de mudas de mandioca e batata-doce e feira de sementes, através do acervo de feijões resgatados pela Embrapa, em banco de germoplasma, localizado na unidade de pesquisas em Pelotas.

No mesmo dia foi realizada a reunião de trabalho dos GRTs afim de construir uma agenda de prioridades para 2018. "A UMIPTT do sudoeste do Paraná atende cerca de 42 municípios e nossa intenção é valorizar a rede sóciotécnica para fortalecer um modelo de desenvolvimento sustentável àquele território", definiu o chefe da Área de Transferência de Tecnologia, Costa Gomes. Ele ainda, lembrou que o projeto de Cadeias Curtas de Comercialização é direcionado para atender o Rio Grande do Sul, mas estará também planejando ações para serem desenvolvidas naquela região paranaense. "No mês de junho, temos uma agenda programada para trazer um grupo de 40 técnicos, agricultores e lideranças do meio rural ligados à UMIPTT do sudoeste do Paraná, para conhecer o trabalho em Agroecologia, na EEC", adiantou Costa Gomes.

Projetos de pesquisa de 2017 da UMIPTT

No dia 6 de abril foi feito especialmente uma agenda para realização de um seminário para divulgar os resultados dos 26 projetos desenvolvidos durante o ano passado pela Unidade Mista. Os trabalhos foram divididos em duas linhas temáticas prioritárias:  o primeiro grupo em bovinocultura de leite e agregação de valor e, o segundo, em fruticultura e horticultura. Todos esses projetos foram desenvolvidos junto aos campus da UTFPR em Francisco Beltrão, Dois Vizinhos e Pato Branco.

Segundo o pesquisador da Embrapa Gilmar Meneghetti, atuando junto a UMIPTT, todos os projetos apresentados são muito promissores. "Embora, não se tenha dentre estes trabalhos, tecnologias prontas há um grande potencial dos estudos se tornarem boas soluções tecnológicas, por isso, precisam de continuidade", avaliou Meneghetti. Entre os projetos avaliados ele citou a Atividade inseticida de extratos vegetais e óleos essenciais sobre Chrysodeixis includens Walker, 1858 (Lepidoptera:Noctuidade) e seletividade a parasitoide de ovos, de Everton Ricardi Lozano da Silva, um trabalho de pesquisa de controle biológico com redução de impactos ambientais ao ser diminuido o uso de inseticidas e fungicidas. "O trabalho trouxe resultados de redução de custos de produção, alimentos de produção limpa e consumidores com mais saúde", observou Meneghetti. O controle é feito através do uso de óleos essenciais de plantas como a mamona e a pitangueira.

Outro projeto lembrado pelo pesquisador é o Produção de Pastagem pelo Manejo Racional da Irrigação: uso de curva de retenção de água no solo associada à tensiometria, de autoria de André Pelegrini. "Esta atividade busca a racionalização da água, medindo a umidade e aumentando a produção das pastagens. É feito um controle sobre os recursos naturais"¸explicou Meneghetti.

O pesquisador confirmou que ao encerrar o seminário, todos os projetos serão também apresentados aos técnicos da Emater, Assesoar, CAPA e Cresol, em evento a ser agendado junto as instituições de extensão rural, para que tenham conhecimento das oportunidades, que surgirão futuramente desta ações.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink