Usina da Yara e Petrobras poderá ficar em Ubu (ES)

Agronegócio

Usina da Yara e Petrobras poderá ficar em Ubu (ES)

Um segundo empreendimento é uma unidade para produção de amônia e uréia
Por:
20 acessos

Anunciado oficialmente na semana passada, o Pólo Industrial e de Serviços de Anchieta, na região de Ubu (ES), já tem projetos previstos como uma siderúrgica – uma parceria da chinesa Baosteel e a Vale do Rio Doce. Um segundo empreendimento, a ser confirmado até setembro, é uma unidade para produção de amônia e uréia, que deverá ser implantada pela Yara Brasil.

O projeto inicial foi anunciado no início deste ano e foi desenvolvido para aproveitar o aumento na produção de gás natural, cuja oferta passará dos atuais 1,3 milhões de metros cúbicos por dia para 20 milhões de metros cúbicos por dia até o final de 2008.

A multinacional já admite que poderá fazer a unidade no Estado por meio de joint venture com outra empresa, que pode ser a própria Petrobras. Em protocolo de intenções assinado entre a estatal brasileira e o governo estadual, a Petrobras se comprometeu em realizar estudos para implantar aqui uma fábrica de amônia.

A Yara Brasil já tem uma unidade que funciona da Serra, onde produz 50 toneladas por mês. A empresa investiu R$ 10 milhões, no ano passado, para elevar a produção para 150 toneladas de fertilizantes por mês.

Escolha. Segundo o consultor Ricardo Galeno, que acompanha o projeto da empresa, até setembro representantes da empresa deverão vir ao Estado para conhecer as possíveis áreas para instalação do projeto. A região do Pólo Industrial de Anchieta é uma das mais prováveis para receber o investimento.

O projeto de uma nova unidade foi apresentado à equipe econômica do governo do Estado no final do ano passado e o investimento previsto é superior a US$ 500 milhões. De lá para cá a Yara vem negociando com a Petrobras o fornecimento de gás natural que, no processo de produção de fertilizantes, entra como insumo e não apenas como fonte de energia. Hoje, a Yara coloca sua produção em 21 Estados.

A multinacional Yara Brasil tem 7,5% de participação no mercado brasileiro, sendo que, no Espírito Santo, esta participação chega a 11,5%. O mercado brasileiro de fertilizantes movimenta, anualmente, mais de 22 milhões de toneladas. No Estado, são comercializadas 220 mil toneladas de fertilizantes por ano.

A previsão é de que até setembro a equipe da Yara Brasil venha ao Espírito Santo para um novo contato com o governador Paulo Hartung e a direção da Petrobras. Há previsão de sobrevôos sobre o pólo de Anchieta, com a presença do presidente da Yara Brasil, Lair Hanzen, e do 1º vice-presidente do conselho de administração, Trygve Magnusson, além de outros executivos da companhia.

Yara compra 48% das ações da Fertibrás:

A empresa norueguesa Yara adquiriu 48,09% das ações da brasileira Fertibrás por US$ 126 milhões, o que representa 99,95% das ações com direito a voto. A Yara nasceu em 2004 a partir do desmembramento das atividades de adubos da Norsk Hydro. A Yara comprou a empresa brasileira Adubos Trevo, também em 2004, e tem planos para ampliar a produção de fertilizantes no Espírito Santo. Com a compra da Fertibrás, a Yara ganha mais mercado no Brasil – já detinha 9% de participação, o que conseguiu com a compra da Adubos Trevo. Agora ficará com 14% do mercado.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink