Usineiros reclamam da decisão argentina de manter taxa para açúcar


Agronegócio

Usineiros reclamam da decisão argentina de manter taxa para açúcar

Por:
1 acessos

A decisão da Argentina de manter a sobretaxa para as importações do açúcar brasileiro foi mal recebida pelos produtores brasileiros do setor. "A medida afetará diretamente o Brasil, uma vez que seremos sensivelmente prejudicados nas negociações de abertura dos principais mercados açucareiros mundiais", afirma Eduardo Pereira de Carvalho, presidente da União da Agroindustria Canavieira de São Paulo (Unica).

O Brasil não exporta açúcar para a Argentina, mas na avaliação do presidente da Unica a sobretaxa do produto viola as regras do acordo do Mercosul. Além disso, o representante dos usineiros entende que a decisão pode abrir precedente para que os maiores mercados mundiais sigam o mesmo caminho do país vizinho.

O Brasil negocia em painéis internacionais a venda de açúcar para os Estados Unidos, Japão, União Européia - três importantes consumidores mundiais, e que têm custos de produção sensivelmente mais elevados que o do Brasil -, Argentina e Chile.

O veto argentino ocorreu na madrugada de quarta para quinta-feira quando os deputados argentinos transformaram em lei a proteção ao açúcar. O argumento dos parlamentares das províncias argentinas produtoras de açúcar - Tucumán, Salta e Jujuy - é de que o governo brasileiro concede subsídios para o produto nacional.

"Queremos que a Argentina prove a existência de subsídios e que a partir das provas brigue por seus direitos", diz Carvalho, acrescentando que tomará providências sobre a questão. "Vamos denunciar a violação das regras do acordo do Mercosul. Temos material suficiente para reclamar na Organização Mundial do Comércio (OMC). Também vamos solicitar que o governo federal assuma posição em defesa do Brasil."

Para Carvalho, ainda que a decisão argentina não tenha efeito prático, ela emperra as negociações brasileiras para a liberalização da Alca e União Européia (UE). "Enquanto alegam serem prejudicados pelos subsídios brasileiros, os produtores argentinos estão fazendo fortuna com o açúcar", afirma. No ano passado, as exportações brasileiras de açúcar se situaram em US$ 2,2 bilhões.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink