Uso da vacina contra brucelose passa a ser obrigatória no Tocantins
CI
Agronegócio

Uso da vacina contra brucelose passa a ser obrigatória no Tocantins

Portaria declara que fêmeas de 3 a 8 meses de idade e que não foram vacinadas com vacina Cepa a B19 terão que receber a vacina RB51
Por:
No estado de Tocantins, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), assinou, no dia 09 de maio, a portaria de número 162, que torna obrigatório o uso da vacina RB-51, uma nova ferramenta de combate à brucelose. Hoje a vacinação é feita por meio da vacina cepa B19, sendo obrigatória para animais fêmeas de 3 a 8 meses de idade. Já a RB51 permite a vacinação das fêmeas em idade acima de 8 meses, que não foram vacinadas com a cepa B19.


A RB51 é uma vacina que pode ser utilizada tanto em animais jovens como animais adultos. A proteção conferida por essa vacina é semelhante à conferida pela vacina com a amostra B19, com a vantagem de não interferir no diagnóstico sorológico da brucelose, pois os animais vacinados com a amostra RB51 são negativos nos testes diagnósticos de rotina. O Ministério da Agricultura já publicou um memorando em março de 2012, onde destaca que a RB51 é uma ferramenta importante no Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose – PNCEBT, e afirma que ela reforça a imunização do rebanho sem interferir nos resultados dos testes realizados para diagnósticos da doença.

Segundo o Médico Veterinário e Gerente da Linha Reprodutiva da MSD Saúde Animal, Denis Alves Antonio, a assinatura desse documento faz parte de um cronograma para o retorno efetivo da vacina RB®-51 como ferramenta do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT). “Precisamos mostrar aos produtores rurais que a RB®-51 veio para somar no combate a brucelose”, afirma Denis.

 
Ele complementa que a pecuária brasileira acelera a modernização tecnológica para aperfeiçoar o controle sanitário e ampliar seu acesso aos mercados. Sendo assim, o uso obrigatório da amostra RB51 em bezerras acima de 8 meses, não vacinadas entre 3 e 8 meses de idade, com a amostra B-19, é um passo importante para o controle da brucelose no estado do Tocantins. A vacina RB51 também pode ser usada para novilhas e vacas adultas, como revacinação, aumentando a proteção do rebanho e garantindo eficiência reprodutiva e maior lucro ao produtor.
Para o presidente da Adapec, Marcelo Aguiar Inocente, a obrigatoriedade da RB-51 reforça o compromisso do Estado no controle e erradicação da brucelose no Tocantins. “Este é um passo importante para erradicar a brucelose. Esta nova ferramenta proporcionará um aumento significativo da produtividade do nosso rebanho, e, sobretudo a proteção à saúde humana, por ser a brucelose uma zoonose.”


Segundo a responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose – PECEBT, Regina Barbosa, a utilização desta vacina já era regulamentada no Tocantins, por meio de portaria, desde 2007, porém, o que muda agora, é que ela passa para uma condição de obrigatoriedade.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.