Uso indevido de molécula prejudica citros
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)

Imagem: Pixabay

ALERTA

Uso indevido de molécula prejudica citros

Formulações estariam fazendo uso inadequado de tecnologia em insumos citrícolas
Por: -Eliza Maliszewski
545 acessos

O Instituto Agronômico (IAC-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, emitiu um alerta para o uso indevido de formulações que estariam sendo feitas com N-Acetil-Cisteína (NAC). A molécula é uma descoberta da entidade, patenteada e licenciada com exclusividade para a empresa Ciacamp que já produz, em parceria com a empresa Amazon Agrosciences, um fertilizante foliar para citros.

Além de ilegal o uso da molécula tem trazido prejuízos para a citricultura. O NAC é uma molécula já usada para tratamento de infecções bacterianas das vias aéreas de humanos e foi descoberta pelo IAC no manejo de doenças em plantas, em 2013. Entre as vantagens está o impacto ambiental zero e menor custo de produção. "Essa molécula mostrou-se eficiente no controle de fitopatógenos dos citros, incluindo a Xylella fastidiosa", garante Alessandra Alves de Souza, pesquisadora e líder da pesquisa.

A dose usada na planta é bem menor do que a adotada em seres humanos. O NAC foi avaliado como estratégia para inibir ou desagregar o biofilme bacteriano, formado na superfície das folhas pela bactéria do Cancro Cítrico. "Esse biofilme protege as bactérias de estresses ambientais, entre eles o calor e raios UV, e de compostos antimicrobianos que possam afetar o desenvolvimento da bactéria, dentre eles o cobre, muito usado no controle químico do Cancro Cítrico", explica Alessandra.

O instituto ainda alerta que informações falsas a respeito da tecnologia prejudicam o uso adequado dessa solução. A patente Nº PI 1101176-9 confere ao IAC o direito de impedir outra instituição e/ou empresa de, sem o consentimento do Instituto, produzir, usar, colocar à venda, vender ou importar produto que seja oriundo dessa patente.

A pesquisa teve duração de quatro anos. "Os resultados mostraram que essa molécula não só reduziu a quantidade de bactérias capazes de colonizar a folha, como também teve efeito de desprendimento da comunidade bacteriana que vive sobre as folhas", explica. Segundo Alessandra, a aplicação de NAC com cobre reduziu em até mil vezes a concentração de bactérias nas folhas. "Daí concluímos poder se tratar de nova estratégia de manejo do Cancro Cítrico." A equipe segue estudando novas formas de aplicação do NAC a fim de encontrar respostas ainda mais eficientes. Os novos passos envolvem testes em campo para controle da CVC e testes em casa de vegetação para manejo de outras doenças bacterianas.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink