USP cria curso para impulsionar expansão do agronegócio no País
CI
Agronegócio

USP cria curso para impulsionar expansão do agronegócio no País

Engenharia de biossistemas deve formar profissional para trabalhar com tecnologia e sustentabilidade
Por:
Acompanhando o movimento de expansão do agronegócio - que em 2008 deve ter uma safra recorde de mais de 145 milhões de toneladas de grãos -, a Universidade de São Paulo planeja lançar daqui cinco anos no mercado uma leva de novos profissionais capacitados para dar conta desse crescimento e criar novas tecnologias que possam manter o Brasil em posição de liderança.


A carreira, inédita no País em nível de graduação, é a Engenharia de Biossistemas, que inicia em 2009 com 60 vagas na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos em Pirassununga. Para sua implantação, a USP está gastando R$ 5 milhões . O engenheiro agrícola Celso Eduardo Lins de Oliveira, coordenador do curso, espera que no primeiro ano a procura fique em torno de 6 a 10 candidatos por vaga. Aqui, ele explica o que esse profissional será capaz de fazer e qual a demanda do mercado.

O que são os biossistemas?

Uma definição restrita, que não abarca toda a amplitude do termo, é de que biossistemas são os sistemas vivos ligados à produção agropecuária, e isso inclui plantas, animais e todos os ecossistemas envolvidos nessa produção. Mas o termo é muito mais amplo.


O que motivou a universidade a criar esse curso?

O agronegócio tem expressiva participação nas exportações e no PIB do País. Essa posição não foi conseguida sem esforço tecnológico. Mas para esse desenvolvimento acontecer precisamos cada vez mais de profissionais que atuem em áreas técnicas, porém relacionadas à produção agropecuária, como agricultura e zootecnia de precisão, georreferenciamento, etc. Eram coisas que até há alguns anos não eram importantes para manter nossa posição de liderança. Com a ascensão dessas tecnologias, a USP entendeu que há necessidade de um profissional com formação tecnológica correspondente nessas áreas.

O engenheiro em biossistemas será capaz de fazer o quê?

Hoje temos o agrônomo, que está ligado ao sistema solo-planta-atmosfera, e o engenheiro agrícola, que trabalha mais com construções, máquinas, irrigação. O engenheiro de biossistemas vai trabalhar com as infra-estruturas de suporte à produção agropecuária, com automação, com controle de qualidade.


A produção sustentável será uma preocupação desse profissional?

Sim, se estamos falando em manter nossa liderança no mercado internacional, esse profissional não pode estar desagregado dos requerimentos de mercado - que hoje tem se preocupado muito, entre outras coisas, em saber se um animal foi criado em condições de conforto adequado. A gente controla isso e mantém os níveis de produtividade com o emprego de tecnologia. Quando se fala em proteção ao meio ambiente, é importante lembrar que ele tem tanto destaque também porque virou negócio.

O curso deve tratar de dilemas do agronegócio, como produção energética x produção alimentar?

Uma das coisas que deram mais trabalho ao montar o curso foi incluir uma carga horária de humanas adequada, com disciplinas de ética, por exemplo. O curso também terá formação específica na área de energia, assunto do momento e do futuro.

Se defendemos a forma de produção ligada à biomassa, temos de abordar esses conflitos de caráter ambiental e social. O aluno terá uma formação técnica, específica, e humana, genérica, para se inserir nessas discussões e ser capaz de solucioná-las, com uma visão holística.


Como atrair o jovem para a carreira que nem sequer existe ainda?

Hoje, nos anúncios de emprego, não se encontra ninguém oferecendo emprego para um engenheiro de biossistemas porque é uma profissão que não existe no País. O que não quer dizer que não exista a necessidade desse profissional.

Um levantamento que fizemos mostrou que se quer pessoas com esse conhecimento. Para os jovens, estamos falando: se você gosta do campo, mas também de videogame, robô, internet, então seu negócio é a engenharia de biossistemas. Nesse curso ele terá aulas de zootecnia, de biologia, vai conhecer o meio de produção no campo, mas não estará direto no curral. Vai conhecer o bicho, a planta, porque eles são o fim do trabalho desse engenheiro, mas ele estará voltado para a produção tecnológica.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.