Valor Bruto da Produção no Centro-Oeste cresce 34% em 2011

Agronegócio

Valor Bruto da Produção no Centro-Oeste cresce 34% em 2011

Algodão e soja são os responsáveis pelo desempenho positivo
Por:
3980 acessos
Região é destaque na pesquisa que analisa as 20 principais lavouras do país. Algodão e soja são os responsáveis pelo desempenho positivo
 
O Valor Bruto da Produção (VBP) no Centro-Oeste deve subir 34,5% em 2011. O estudo do Ministério da Agricultura, realizado em janeiro, a partir das safras e preços de mercado das 20 principais lavouras do país, aponta que a região terá maior crescimento no VBP este ano alcançando R$ 48,7 bilhões. O valor estimado para o país é de R$ 184,2 bilhões, 4,6% maior que o registrado no ano passado. O resultado, se confirmado até o fim do ano, será recorde em 14 anos.

“O número pode ser ainda maior nas avaliações dos próximos meses, já que os preços usados no cálculo da pesquisa ainda são de novembro de 2010”, avalia José Garcia Gasques, coordenador de Planejamento Estratégico do ministério e responsável pelo estudo

Soja e algodão são os produtos que puxaram para cima o Valor Bruto da Produção no Centro-Oeste, principalmente no Mato Grosso, onde o resultado deverá ser 55,4% superior ao verificado em 2010. “Os preços estão bons para o produtor e a safra será a melhor da história, no caso do algodão. E, como o estado é maior produtor da pluma no país, acabou sendo beneficiado”, explica Gasques. A pesquisa informa um VBP de R$ 31,6 bilhões no estado. Somente o valor da produção do algodão, em Mato Grosso, deve crescer 133% em 2011.

Levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra que safra 2010/2011 de algodão no Mato Grosso será 70,4% maior que a obtida no ciclo 2009/2010. A produção deve chegar a 994 mil toneladas contra 583,5 mil toneladas colhidas na safra anterior. A área plantada também terá aumento expressivo - 56,3% - alcançando 669 mil ha. No país, a produção estimada da pluma é de 1,9 milhão de toneladas, o maior da história.

Além do Centro-Oeste, as regiões Nordeste (14,9%) e Norte (0,04%) devem ter crescimento no valor da produção em 2011. No Norte, destaque para a mandioca produzida, principalmente, no Pará. No Nordeste, o valor conjunto das lavouras como algodão, banana, soja, milho e feijão resulta em um desempenho positivo.

Em São Paulo, os bons números da laranja compensam a queda no VBP da cana-de-açúcar. Em Minas Gerais, com VBP previsto de R$ 18 bilhões (1,6%) os resultados foram favorecidos pelo aumento do valor da produção de café e milho.

Brasil

Considerando o Valor Bruto da Produção Nacional, as lavouras com melhor desempenho são uva (53,9%), algodão (46%), feijão (34,4%), laranja (12%) e mandioca (11,8%). Terão também crescimento, mas em menor proporção o arroz, a banana, o café, o milho e a soja. O VBP da uva deve alcançar R$ 4,3 bilhões; o do algodão, R$ 4,5 bilhões; o do feijão, R$ 7,8 bilhões; o da laranja, R$ 13 bilhões e o da mandioca, R$ 6,6 bilhões. A soja, produto com maior valor entre as lavouras analisadas, terá aumento de 6% e deve chegar a R$ 48 bilhões.

O trigo (- 25,8%) e a cebola (- 62,5%), em contrapartida, terão queda no valor da produção.

Entenda melhor

Elaborado pela Assessoria de Gestão Estratégica desde 1997, o Valor Bruto da Produção é calculado com base na produção e nos preços praticados no mercado das 20 maiores lavouras do Brasil. Para realizar o estudo, são utilizados dados d o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O VBP é correspondente à renda dentro da propriedade e considera as plantações de soja, cana-de-açúcar, uva, amendoim, milho, café, arroz, algodão, banana, batata-inglesa, cebola, feijão, fumo, mandioca, pimenta-do-reino, trigo, tomate, cacau, laranja e mamona.

Mensalmente, o Ministério da Agricultura divulga a estimativa do valor da produção agrícola para o ano corrente. Esse valor pode ser corrigido, conforme as alterações de preço e a previsão de safra anunciados ao longo do ano.

Faça o download do estudo referente ao mês de janeiro:
 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink