Veja como evitar que o percevejo cause abortamento na soja
CI
Imagem: Marcel Oliveira
PROTEÇÃO

Veja como evitar que o percevejo cause abortamento na soja

Percevejos são considerados a principal praga da soja no Brasil e causam grandes danos para produtividade
Por: -Aline Merladete

A lavoura de soja depende de uma série de fatores para atingir seu máximo potencial produtivo, entre os mais importantes destacam-se as aplicações de inseticidas no início do ciclo da cultura. O momento mais crítico para proteger a soja é quando ela está começando a emitir os canivetinhos (estágios R3 e R4), evitando que o percevejo cause o abortamento e prejudique a qualidade e produtividade.

Considerados a principal praga da soja no Brasil, os percevejos têm causado enormes danos às lavouras. Estudos mostram que apenas um percevejo por m2 na fase de desenvolvimento da vagem é capaz de causar a perda de 100 quilos de soja por hectare (fonte: Scopel, 2013). O ideal é fazer a aplicação quando for observada uma população de meio a um percevejo por m2, evitando a deposição de ovos e a origem de uma nova geração da praga. Além disso, é recomendado realizar a reaplicação após 7 a 10 dias para garantir o controle do inseto.

A espécie de maior ocorrência é o percevejo-marrom (Euschistus heros), principalmente nas regiões mais quentes do Norte do Paraná ao Centro-Oeste, mas o percevejo-verde-da-soja (Nezara viridula) e o percevejo-verde-pequeno (Piezodorus guildinii) também causam muitas dores de cabeça aos produtores. Os insetos reduzem o potencial de germinação, provocam atraso no desenvolvimento, má formação de vagens e diminuem a qualidade dos grãos.

Novidade para controle do percevejo e proteção do canivetinho da soja

Há muito tempo o mercado de soja esperava por uma solução efetiva para o controle de percevejos. O inseticida Expedition®, lançado pela Corteva Agriscience, possui um modo de ação diferenciado no controle do inseto. “Foram nove anos de pesquisa para o desenvolvimento dessa solução, uma importante ferramenta para o manejo de percevejos na cultura da soja. Por isso, reforçamos o nosso posicionamento com especial atenção na proteção do canivetinho”, afirma Thomas Scott, líder de Marketing para Inseticidas da Corteva Agriscience.

Formulado a partir da nova molécula Isoclast® e pertencente ao novo grupo químico das Sulfoxaminas, o modo de ação de Expedition® auxilia os agricultores no manejo da resistência, se diferenciando em relação aos produtos já disponíveis no mercado. Entre as principais características dessa ferramenta está o efeito de choque e residual, que protege a cultura imediatamente e por mais tempo. E, a grande fortaleza dele é a excelente eficácia tanto em adultos como em ninfas. E vale chamar atenção para o controle das ninfas, pois é a fase em que ocorrem os maiores danos. O princípio ativo do Expedition® já está aprovado em mais de 80 países, a exemplo do Canadá, Austrália, Japão, Índia, China, Argentina e a União Europeia.

“Em 2020, o Brasil retomou o posto de maior produtor de soja do planeta. Expedition® irá auxiliar nos desafios enfrentados pelos sojicultores e contribuir para o desenvolvimento da cultura da soja e da agricultura nacional”, completa Thomas Scott.

Boas Práticas Agrícolas

Todas as tecnologias da Corteva contam com orientações sobre sua correta utilização, além de passarem por rigorosos testes antes de serem aprovados pelos órgãos regulatórios. A companhia também possui um programa robusto de Boas Práticas Agrícolas que promove treinamentos técnicos para produtores, agrônomos e consultores sobre manejo de plantas daninhas, manejo integrado de pragas, manejo de doenças, tecnologia da aplicação e segurança do trabalhador.

*Informações da assessoria de imprensa.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink