Agronegócio

Venda externa de ovos férteis continua apresentando resultados negativos

As exportações brasileiras de ovos férteis destinados à produção de pintos de corte permanecem, agora, a pouco mais da metade desse volume.
Por:
400 acessos

As exportações brasileiras de ovos férteis destinados à produção de pintos de corte – que no início da presente década chegaram a superar a marca dos 20 milhões de unidades mensais – permanecem, agora, a pouco mais da metade desse volume.

Entre janeiro e maio de 2016 o volume médio embarcado mensalmente mal passou dos 12 milhões de unidades, ficando 13% abaixo do que foi exportado em idêntico período de 2015 (69,842 milhões de unidades, quase 14 milhões de unidades mensais).

Já o total acumulado em um período de 12 meses continua distante daqueles 200 milhões de unidades alcançados em 2010 e 2011. Nos 12 meses decorridos entre junho de 2015 e maio de 2016 o volume embarcado foi pouco além dos 131 milhões de unidades, recuando perto de 24% em relação a idêntico período anterior.

O fraco desempenho é reflexo, sobretudo, da redução das importações por parte da Venezuela, até recentemente principal mercado do produto brasileiro. 

Nos cinco primeiros meses deste ano as vendas de ovos férteis para a Venezuela recuaram quase 70%. Mas houve queda também – em índice ainda maior (77%), mas em volume proporcionalmente menor – nas remessas para o México.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink