Agronegócio

Vendas de máquinas agrícolas deverão aumentar 13% este ano

Os fabricantes esperam consolidar a recuperação iniciada no ano passado
Por: -Redação
1 acessos

Fabricantes de máquinas agrícolas, que nos últimos quatro anos viram os negócios despencarem 40%, esperam consolidar a recuperação iniciada em 2006, quando as vendas apresentaram aumento de 10%, interrompendo o ciclo de três anos de queda. O setor acredita que o bom rendimento esperado pelos agricultores na safra a ser colhida entre fevereiro e abril vai reverter na aquisição de novos tratores e colheitadeiras para o plantio do segundo semestre.

A aposta é de aumento de 13% nas vendas de máquinas agrícolas este ano, quase o dobro dos 7% projetados pela indústria automobilística para o mercado de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O índice é considerado um piso pelas empresas de equipamentos agrícolas. “Talvez seja até uma projeção conservadora, pois o agricultor precisa do maquinário que não conseguiu comprar nos últimos anos”, diz o vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Persio Luiz Pastre.

Para ele, a recuperação será consistente a ponto de, no próximo ano ou mais tardar em 2009, as vendas voltarem à média de quase 40 mil unidades alcançada no período 2002-2004. A expectativa de firme retomada do mercado agrícola ajuda empresas a dar andamento em novos projetos. A John Deere inicia no meio do ano a produção de tratores em uma fábrica no município de Montenegro (RS), a 50 quilômetros de Porto Alegre.

A inauguração vai ocorrer um ano depois do previsto. No ano passado, as vendas de tratores da marca caíram 0,9% ante 2005, para 1,739 mil unidades, e as de colheitadeiras diminuíram 37,3%, para 549 unidades. O segmento de colheitadeiras foi um dos mais atingidos pela crise agrícola. As vendas totais, que em anos anteriores ficavam na casa de 5 mil unidades desabaram para cerca de mil máquinas em 2006, um volume ridículo, atesta Pastre.

Todas as fabricantes suspenderam a produção durante quatro meses e deram férias coletivas aos funcionários. “Esse quadro não vai se repetir este ano”, afirma o executivo da Anfavea. A Case New Holland (CNH) espera crescimento de 20% nas vendas da marca este ano. Em 2006, o grupo vendeu 4,150 mil tratores e 473 colheitadeiras. “Enxergo uma boa retomada este ano, mas não sei em que velocidade”, diz o vice-presidente comercial para América Latina, Franco Pallaro.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink