Volume de carne de frango inspecionada recuou menos de 1% em 2018

Carne

Volume de carne de frango inspecionada recuou menos de 1% em 2018

Dados apontaram que o número de cabeças de frango abatidas em estabelecimentos sob inspeção recuou cerca de 2,5% no ano
Por:
33 acessos

Embora preliminares, os dados finais do IBGE relativos a 2018 apontaram que o número de cabeças de frango abatidas em estabelecimentos sob inspeção (federal, estadual ou municipal) recuou cerca de 2,5% no ano que passou. O que não foi ressaltado é que o levantamento possui uma segunda informação, sem dúvida mais relevante que a primeira. Ou seja: além do número de cabeças abatidas, ele mostra o volume de carne decorrente desses abates. E, neste caso, a queda observada foi significativamente menor que a registrada no número de cabeças abatidas. Mais exatamente, de 0,7%. Portanto, inferior a 1%.

A diferença entre os dois indicadores se deve à maior produtividade do frango, uma constante no setor avícola. Na média do ano, ela aumentou 1,8%, o que significa que o peso médio por cabeça abatida passou de 2,329 kg em 2017 para 2,371 kg em 2018. Mas essa é a média do ano, pois houve momentos em que pesos bem mais elevados foram registrados. O pico – sem dúvida histórico – ocorreu em junho, mês em que os frangos abatidos alcançaram, em média, 2,471 kg, quase 5% a mais que um ano antes. Um dos efeitos da greve dos caminhoneiros ao paralisar os abates e reter as aves nas granjas muito além do tempo ideal de abate. 

Foi uma exceção, claro, e sem dúvida o resultado mais pertinente foi o obtido no segundo semestre do ano, período em que o peso médio aumentou 1%. É oportuno observar que embora tais resultados sejam divulgados como “abate inspecionado de frangos”, neles estão inclusos, também, os abates de descartes de poedeiras e de reprodutores, cujo peso pode ser estimado em, aproximadamente, 3% do volume total. 

Isso considerado, a produção inspecionada de carne de frango, especificamente, deve ter girado em torno dos 13,1 milhões de toneladas. Ressalte-se, porém, que esse volume se refere apenas à produção sob inspeção federal, estadual ou municipal. Quer dizer: os abates efetivos de 2018 foram maiores.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink